Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

terça-feira, outubro 28, 2008

Haja dinheiro, haja loucura



Segundo matéria da Folha de S.Paulo, no decorrer de 2008
Mano Menezes ganhou e ganhará, em média, 305.000 reais por mês do Corinthians.

Dinheirão, não?

Por tudo que se sabe e sem nunca haver um desmentido categórico, digno de confiança,
Vanderlei Luxemburgo ganha 500.000 mensais no Palmeiras, mesmo valor que já ganhara no Santos.

Dinheirão, não?

Nesse cenário, o São Paulo destoa. Juvenal paga a
Muricy algo entre 200 e 250 mil mensais, com maiores probabilidades de 200 que de 250.

Dinheiro mais que razoável, não?

Os 305 mil de Mano já incluem, segundo a matéria, férias e 13º. Incluem, também, luvas de 1 milhão de reais, que deveriam ter sido pagas em duas parcelas, mas acabaram divididas em parcelas mensais no decorrer do ano, pois o clube teve problemas de caixa em todo o período.

Por sinal, ainda tem e continuará a ter em 2009.

Esse valor de 305 mil não inclui os
encargos sociais.
Estes, com toda a certeza, são pagos sobre parte desse valor, como é praxe no mercado brasileiro (já adianto que acho corretíssima; ninguém agüenta a carga fiscal do estado tupiniquim).

Tudo isto significa um desembolso anual da ordem de aproximadamente 4.200.000 reais.
Arredondemos tudo para
4 milhões.

Vanderlei custa pouco menos de
7 milhões ao Palmeiras.

Muricy custa pouco menos de
3 milhões ao São Paulo, um pouco menos do que custa ao clube Rogério Ceni.

Para renovar seu contrato, Mano quer pelo menos
350.000 mensais, o que elevaria seu custo anual para cerca de
5 milhões
de reais.

Há anos Marcelo Portugal Gouvêa e depois Juvenal Juvêncio, vêm reclamando dos valores estratosféricos pagos a treinadores.

Estamos em meio a uma crise econômico-financeira que tudo indica ser sem precedentes.
A NBA já mandou embora 9% de sua força de trabalho e reduziu o preço dos ingressos para a temporada em 50%.
Os primeiros sinais de uma crise profunda começam a pipocar por toda parte.
Agora, nos últimos dias, até jornalistas e cronistas esportivos que pouca importância davam a esse tema já falam em crise e começam a pensar em seus possíveis efeitos por aqui.

Nessa altura do campeonato, cabe uma indagação que já foi feita mais de uma vez e que vale a pena ser repetida: esse pessoal vale mesmo tudo isso?

Na opinião deste Olhar Crônico Esportivo o limite do razoável é ditado por Muricy Ramalho.


Em tempo: Carlos Leite, agente de Mano Menezes, disse que o treinador tem várias ofertas de trabalho, que serão analisadas caso o Corinthians não concorde com o valor pedido.

Pois é...


.

Marcadores: , , ,

6 Comments:

  • At 9:48 AM, Anonymous Dinarte Josias said…

    Emerson,

    Após o futebol atingir niveis "absurdos" com arrecadação/salários/premiações em dinheiro, parece que a crise "obrigará" todos estes segmentos a um equilibrio nas finanças a fim de que não quebrem.

    Até a F1 que sempre movimentou bilhões terá que se readequar a crise.

     
  • At 10:56 AM, Blogger RONALDO DERLY RODRIGUES said…

    se o são paulo quiser vou por um por cento do salário do muricy mais casa comida e roupa lavada he he he agora falando sério,que grana bacana hem 500.000 por mês o luxeco e 200.000
    o muricy oh louco nunca nem vi tanto dinheiro,quanto mais dizer que fosse meu,se eu tiver um filho(ainda dá tempo) vai ser jogador do manchester ou treinador do são paulo he he he

    abraço ronaldo(vai na corrida domingo ou não?)

     
  • At 12:11 PM, Anonymous Maurício Pena said…

    EMERSON,

    ESQUECEU ???? Hoje é dia do FLAMENGUISTA, cadê o texto sobre data TÃO IMPORTANTE ???? Vamos sair de dentro do BAIRRO ???? hehehehehe

     
  • At 12:26 PM, Blogger Emerson said…

    Tô fora, Maurício.
    Aniversário de clube, dia disso, dia daquilo...

    :o)

    O Lédio é bonzinho no JA e fica notificando aniversário de 92 anos, 43 anos, sei lá o que.
    Só vale isso para data realmente simbólica, tipo 100 anos.


    .

    Ronaldo, 1% do que o São Paulo eu declino.
    Já no caso do Santos, Corinthians e até do Flamengo antes do Caio, bom, aí é de se pensar.

    :o)

    .

    Dine, o Marcelo Teixeira, o Dualib e agora o Sanches e o pessoal do Palmeiras andaram inflacionando, mais do que inflando, esse mercado.

    O Santos jamais poderia ter pago o que pagou para Zé Roberto e Luxemburgo, por exemplo.

    Leão e Autuori ganhavam - para os padrões desse mercado - pouquíssimo no São Paulo. O Leão, por sinal, reclamava uma barbaridade disso.

    Em algum momento esse pessoal terá que cair de vez na real.
    Teixeira manteve o Márcio Fernandes também por economia, mas seu elenco ainda tem salários impensáveis, como o do Fabão, do Rodrigo Souto, dos dois Kleber e do Fábio Costa.

    A saída do Maldonado foi um bálsamo para os cofres da Vila.

     
  • At 3:08 PM, Blogger Damião said…

    Até o Muricy eu acho que ganha demais.
    120 ou 150 para mim seria o teto para um treinador de um grande time brasileiro.

    Uma hora as coisas vão ter que se adequar.

    abs

    Damião

     
  • At 2:44 AM, Anonymous Anônimo said…

    boicote aos estádios já! ingressos a R$ 10. A resposta da CBF vai ser: 10? RS.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home