Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

sexta-feira, outubro 10, 2008

Amor demais...






... pode fazer mal.

É o que dizem algumas velhas comadres, realistas, vividas, que muito já viram no decorrer de suas vidas.
Pode ser, pode ser, afinal, o ser humano é meio esquisitão, mesmo, não somos?


Acabei de ver o vídeo e ouvir o Wando cantando a versão de “Fogo e Paixão” criada por torcedores do Flamengo em homenagem ao atacante Vandinho.

A música original, que fez muito sucesso, é bonita e gostosa, ritmo fácil, letra que gruda na boca e pede repetições infinitas. Na voz de torcedores apaixonados, homenageando um jogador, é pura loucura, ainda mais que a torcida rubro-negra encantou-se com o rapaz. Não chegou a ser amor à primeira vista, mas foi, digamos, à terceira ou quarta vista. Talvez não amor, ainda, e sim paixão.

Vandinho...

Mas, quem é Vandinho?

Quem? Rapaz de 22 anos, que despontou no Avaí nesta temporada, marcando gols em profusão. Foi contratado pelo Flamengo, entrou em algumas partidas e já despertava suspeitas em parte dos torcedores quando, no jogo contra o Sport, embaixo de um temporal, deu um belo passe para Juan empatar o jogo. Minutos depois marcou o gol da virada, recolocando o Flamengo na disputa do título. Apesar disso, cabe a pergunta anterior e outras:


Quem é Vandinho?
Qual sua experiência?
De onde veio?

De repente a torcida, por causa de alguns poucos jogos, um gol e um passe, outro gol, um pênalti, sai com uma música em sua homenagem e um cantor famoso dá voz e corpo a ela...

E aí?

Como ficará a cabeça do rapaz?
Vai segurar a onda?

De repente, não mais que de repente, ele é a celebridade do momento na cidade do Rio de Janeiro.
Mais badalado que os candidatos a prefeito.
Celebridade numa cidade onde as celebridades têm uma vida de sonhos à disposição.
Aparentemente.


Como ficará agora?
Agora os zagueiros adversários vão saber que ele é "o" cara da música.
Vão dar mole pra ele?
Vão dar espaço pra ele?

E ele, sem espaço, com marcação redobrada, em cima o tempo todo, no cangote, sem folga, vai conseguir fazer bonito?
Vai conseguir ignorar a guerra de nervos da zagueirada adversária?
Vai conseguir responder aos anseios da torcida que fez até música?


A manifestação é bonita, e até emocionante?
Claro que sim.
E a música é gostosa, fácil, boa de cantar, também eu a cantarolei duas ou três vezes.

Mas...
Terá sido conveniente?
Não terá sido prematura?

Essa é a questão que o Vandinho irá responder no campo.
Tomara que consiga.
Ídolos fazem bem ao futebol.

Assim como a paixão do torcedor pode fazer mal.


Bom fim de semana a todos.
Até segunda-feira estarei na companhia das minhas vaquinhas.

.

Marcadores: ,

3 Comments:

  • At 12:30 AM, Blogger ROD said…

    Gente, mas vocês dão muita importância pra essas coisas..

    Uns chamam de empáfia, outros de oba-oba, mas esse nada mais é do que o nosso jeito rubro-negro de ser. Não mudaremos nunca...e nem queremos.

    Tenho uma série de críticas a fazer sobre o Marcio Braga, mas nenhuma delas versa sobre a tal declaração acerca dos "preparativos para a festa de comemoração do hexa". Assim como achei super natural a manifestação da torcida em relação ao Vandinho, que se não consegue segurar a onda, era melhor nem ter vindo. Mas o rapaz tem personalidade. E um empresário que, pelo menos a princípio, me pareceu um profissional sério, zeloso e ético. E trabalha junto com Vandinho desde que o jogador tinha 15 anos.

    Enfim, Emerson, somos assim. Nem melhores , nem piores...Apenas diferentes.

    Tenho sido um crítico ferrenho do trabalho do Caio Junior, mas fiquei muito bem impressionado com a compreensão do treinador sobre o que é Flamengo, quando fora questionado no último "Bem Amigos" sobre se as declarações do Presidente poderiam ser prejudidciais ao trabalho do grupo nessa reta final de campeonato. Caio, na maior naturalidade, respondeu que não, que no Flamengo as coisas sempre foram assim e todos sabem. E não falou em tom de reprovação, não. Falou em tom de mera constatação, algo como se fosse, e é, uma cacterística inerente a todo rubro-negro. Nesse ponto, gostei da percepção do Caio Junior. É isso mesmo.

    abraço.

     
  • At 11:54 AM, Anonymous Anônimo said…

    Caro Emerson

    No Flamengo e em qualquer outro clube (mas talvez mais no Flamengo e em outros grandes clubes) o futebol é visto com paixão, não como negócio. Não tem que perguntar se a torcida fez bem ou mal ao fazer a tal paródia. É assim que a torcida faz...Ela "torce" os fatos. Como já disse o comentarista que me antecedeu, se o Vandinho não conseguir "segurar a onda", sinto muito. Vai voltar pra casa, com o rabo entre as pernas.

    Um abraço,
    LUcas Camargo

     
  • At 9:30 PM, Blogger Henrique said…

    Flamengo pocotó?


    O cara faz 2 gols e já é ídolo!

    Que carência, não?

    Muricy Eterno!

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home