Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, setembro 04, 2008

Rolando pelo mundo da bola...


... na UEFA e na Premier League



Pois é, mais um rolando, dessa vez quase que em cima do anterior.

Vamos lá.



Platini quer janela menor


Michel Platini, presidente da UEFA, e a quem este blog gosta

de chamar de ‘super-burocrata’, está incomodado com a duração das janelas de transferência, principalmente a janela de verão, que vai de 1º de julho a 31 de agosto – neste ano, estendida até 2 de setembro.


Segundo ele, isso chega a permitir que um mesmo jogador defenda dois clubes numa mesma competição, coisa que também me desagrada profundamente.


Para nós, brasileiros, habitantes de Pindorama e fornecedores em larga escala do pé-de-obra que abrilhanta as competições européias, das mais fracas à mais espetacular, esse motivo é irrelevante.

Entretanto, uma possível redução na janela seria altamente benéfica para o Campeonato Brasileiro, especialmente enquanto continuar válido esse atual calendário, desencontrado com o calendário europeu.


Em minha opinião, o melhor seria a existência de uma só janela de transferências durante o ano, em julho ou agosto, com 30, no máximo 45 dias de duração, e, naturalmente, com o calendário brasileiro adaptado a essa realidade, de forma a que nossa principal competição começasse depois e terminasse antes da janela de transferências.

Dessa forma, o ‘onze’ inicial do torneio seria o mesmo ‘onze’ final, salvo contusões.


Quem sabe...





Recorde na Premier League


Segundo levantamento da Deloitte, o valor das transferências efetuadas nessa janela de verão cresceu 6% sobre a do verão 2007, que foi superada em mais de 30 milhões de libras (37 M euros), atingindo um valor total de 530 milhões de libras (652 M euros).


Se tomarmos o ano de 2003 como base, esse total é nada menos que o dobro do que foi gasto naquela temporada.

Desse valor, cerca de 40% – 215 milhões de libras (265 M euros) – correspondeu a transações dentro da própria Liga, e 315 milhões de libras (387 M euros) foram gastos em transferências internacionais.


Aston Villa, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Sunderland e Tottenham Hotspur investiram, cada um, mais de 30 milhões de libras (37 M euros) em aquisições.


Segundo, Paul Rawnsley, diretor do Sports Business Group, da Deloitte, os números do verão passado e desse atual foram incrementados graças ao aporte do dinheiro das novas cotas de direitos de TV e à chegada de novos proprietários em diversos clubes, fazendo investimentos pesados em aquisições. Rawnsley disse também que esses valores excedem em muito os valores praticados em outras ligas européias. Comparando com as ligas da Itália e Espanha, os clubes ingleses gastaram quase o dobro em transferências.


Para o diretor da Deloitte, os contratos em vigor asseguram uma boa sustentação para os próximos anos, mesmo num cenário de mudanças econômicas e dificuldades diversas na economia. Para ele, isso tudo mostra que, se o futebol não é à prova de recessão, é, pelo menos, ‘recession-resistant’.




Times do Big 4 da Premier League gastaram menos


Depois dos dados da Deloitte, temos, agora, os levantamentos da KPMG, com algumas discrepâncias em valores em relação ao da auditora e consultora rival. Como essas diferenças são, basicamente, detalhes, selecionei o que é mais relevante, ou curioso, para nós.


Nessa janela de verão, os times do chamado Big 4 – Arsenal, Chelsea, Liverpool e Manchester United – gastaram apenas 101 milhões de libras (124 M de euros) contra 138 milhões (170 M de euros) na janela de verão de 2007.

Em contrapartida, os times fora desse grupo, principalmente Manchester City, Tottenham Hotspur e Aston Villa, aumentaram suas compras de 293 (360 M euros) para 367 milhões de libras (451 M de euros) milhões de libras.



Analisando esse quadro, Geoff Mesher, dirigente da KPMG, disse que a dinâmica da Premier League está mudando, com o aumento de clubes com grande poder de compra. Mesher disse, também, que as aquisições dos membros do Big 4 foram poucas mas mais seletivas. Ou seja, compras a dedo para cobrir deficiências, enquanto os demais compraram para montar plantéis.

Para ele, apesar dos valores envolvidos, não há sinais de problemas com crédito ou aumento exagerado de dívidas e, embora seja difícil prever com exatidão, ele não ficará surpreso se a janela de janeiro não arrebentar com o seu recorde de transferências.


Outros dados interessantes do KPMG Football Transfer Barometer for the Summer 2008 Transfer Window:


- Os times do Big Four Premiership pagam, em média, 10,1 milhões de libras (12,4 milhões de euros) por transferência, contra um valor médio de apenas 4,8 milhões de libras (5,9 M euros) pago pelos clubes fora do Big 4; parte da justificativa para isto é a participação desses clubes na Champion’s League, o que requer maiores investimentos;


- Os clubes do Big 4 pagam um ‘premium price’ por atacantes em comparação às outras posições; vejam o quadro:



Posição

Valor Libras/Euros

Goleiro

2,4 / 3,0

Defensores

4,5 / 5,5

Meio-Campistas

4,4 / 5,4

Atacantes

10,0 / 12,3



- De maneira geral, os clubes da Premier League dão preferência a atletas na faixa de 25 a 28 anos de idade, que têm, justamente, o maior preço médio de aquisição: 6,8 milhões de libras (8,4 M euros). Para comparar, atletas na faixa de 29 a 31 anos de idade, têm um valor médio de transferência de apenas 3,4 milhões de libras (4,2 M euros), ou seja, exatamente a metade.



.

Marcadores: , ,

6 Comments:

  • At 11:15 PM, Anonymous Fernando xaruto said…

    Fala Emerson,
    fim de semana que vem o bicho vai pegar ... meu amigo, vou pegar no pé do frangueiro ... hehehehe ... vamos dar o troco merecido e com gosto de Framboeza ... hehehehehe


    Xaruto

     
  • At 12:03 AM, Anonymous AMBROSIO said…

    Emerson, as janelas devem ser menores para que os primos pobres não percam tanto, mas duvido que isto mude alguma coisa...
    Esta semana começo a nov acasa no sitio, que sera construida simples e aconchegante, por enquanot so para meus pais, mas num futuro não muito distante para que eu me junte a eles....abraços...

     
  • At 12:29 PM, Anonymous Fernando Xaruto said…

    Emerson,
    anota aí:
    Uma pesquisa do Chico antes de zarpar para um churrascão …
    Foi me dito o seguinte:
    Ranking de vendas das mascaras anti poeira do Xaruto:
    1° lugar - Cruzeiro com 165 faturadas
    2 lugar - Botafogo com 165 faturadas (desempate no gol pró … hehehe)
    3° lugar - Gremio com 164 faturadas
    4° lugar - Sum Paulo com 161 faturadas ( xaruto agradece esta marca ao RC)
    5° lugar - Parmeiras com 159 faturadas ( Odair está rindo a toa)
    6° lugar - Fluminense com 158 ( Olavo teve esta semana na loja e comprou uma p.orrada delas, zerou o estoque)

    A Reabertura da loja é um sucesso ... hehehehe

    Xaruto

     
  • At 9:04 AM, Anonymous Anônimo said…

    Fala Emerson,

    Estou aguardando com ansiedade um tópico seu falando sobre a matéria do Lance de ontem, onde mostra que o São Paulo pode alcançar 30 milhões anuais pelo patrocínio de sua camisa. Você tem alguma novidade sobre esse assunto? Qual o impacto que tal contrato teria no mercado brasileiro?

    FAJOPA

     
  • At 3:06 PM, Blogger Emerson said…

    Grande Fajopa!

    Comprei o Lance, claro, aqui em SRPQ.

    '90 milhões' é o 'manchetol' habitual, chama a atenção.
    Ontem, o Rosemberg, vice corinitiano, disse duvidar que o SP consiga, pois o que importa é audiência. Mas o IVF de 2007 mostra o SP tecnicamente empatado com o SCCP. (procure IVF no blog)

    Aliás, o Corinthians só negociou Medial por 16,5 graças aos contratos do CRF e SP, que sinalizaram para o mercado o novo valor para esses três, e, por extensão, para todos os demais.
    O mesmo vale para o acordo Reebok/SP, fechado em 2007, válido para 2008 a 2010.

    No ano passado eu até imaginei algo por aí, desde que a campanha 2008 fosse brilhante, o que não vem acontecendo, está somente boa e pode chegar a brilhante com o TRI, ou ótima, ficando no G4.

    Por enquanto nada há de muito concreto, por tudo que sei.
    Acho até que o Casares foi meio afoito ao falar em 32 ou 30 milhões. O time, em campo, e o JJ, no escritório, precisam mostrar serviço, o que não fizeram até agora.

    Emirates, Coca-Cola, Panasonic e Samsung são, aparentemente, as bolas da vez.


    Vou escrever a respeito tão logo volte pra SP e pro meu computador.


    Grande abraço!

     
  • At 3:07 PM, Blogger Emerson said…

    Xaruto, você vai falir com o estoque de máscaras. :o)

    Estou fazendo força pra voltar a tempo de chegar no Morumbi.



    Ambrósio, tá certo que vc já mora bem demais, mas, pro meu gosto, um sítio nas Minas Geraes é ainda melhor.

    :o)

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home