Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

segunda-feira, junho 23, 2008

Datafolha pesquisa crianças

No último sábado, o suplemento Folhinha do jornal Folha de S.Paulo, publicou matéria com os números de recente pesquisa feita pelo Instituto Datafolha.

Esse Olhar Crônico Esportivo conversou com analista do Instituto, mas antes de falar a respeito vamos à pesquisa propriamente dita, ou melhor, seu resumo, tal como publicado no jornal e transcrito ou comentado por outros órgãos de imprensa.

“Pesquisa entre crianças feita pelo Instituto Datafolha e publicada no jornal “Folha de São Paulo” apontou que o futuro do Flamengo é de crescimento e que o São Paulo pode ultrapassar o rival Corinthians nos próximos anos. O instituto entrevistou 852 crianças em 80 cidades brasileiras. Nada menos do que 23% das crianças disseram torcer para o Rubro-Negro carioca. O Tricolor paulista ficou em segundo lugar, com 11%, à frente do rival Corinthians, com 10%.

A pesquisa revelou ainda fortes presenças de Vasco (5%) e Palmeiras (5%). Em seguida vieram Cruzeiro (3%), Botafogo (2%) e Santos (2%). A Seleção Brasileira foi apontado como time de 4% das crianças entrevistadas.

O Flamengo só não apareceu como líder na região Sul, onde o Grêmio ficou na frente, seguido por Internacional e Corinthians. Nas regiões norte e centro-oeste, o São Paulo foi o segundo, com Vasco e Paysandu dividindo a terceira posição. No Nordeste deu Flamengo em primeiro, São Paulo em segundo e seleção brasileira em terceiro.”

Comentários do Olhar Crônico Esportivo

Primeiro, um quadro que facilite a apreensão dos dados:

Flamengo

23

São Paulo

11

Corinthians

10

Vasco da Gama

5

Palmeiras

5

Seleção Brasileira

4

Cruzeiro

3

Botafogo

2

Santos

2

O Instituto Datafolha ainda não liberou as tabelas completas, portanto só foi possível trabalharmos com os dados que foram fornecidos no release liberado para publicação.

A margem de erro para esse trabalho, com essa amostra de 852 entrevistas, é de 3%.

Embora pareça alta, é considerada pelos especialistas como uma margem de erro muito boa e capaz de refletir com exatidão a realidade. Isso é possível, segundo os analistas e pesquisadores, devido ao avanço dos estudos estatísticos, que permitem trabalhar com amostras que podem parecer pequenas quando se olha apenas para os números absolutos.

Como exemplo, uma pesquisa de caráter eleitoral com menor margem de erro, é feita com 2.500 entrevistas.

As entrevistas foram domiciliares, realizadas em 80 municípios brasileiros, cobrindo todas as regiões do país, todas as classes sociais, sem nenhum filtro, seguindo todas as normas e parâmetros do próprio instituto em outros trabalhos e de acordo com os dados do IBGE. Ou seja, sem diferenciação para esse trabalho em particular.

Segundo o Instituto, foi a primeira vez que essa faixa etária foi pesquisada a respeito de preferência clubística. Normalmente, todas as pesquisas têm por alvo o público a partir de 16 anos de idade. Não houve resposta à pergunta do Olhar Crônico Esportivo sobre o porquê não ter sido pesquisada a faixa etária dos 12 aos 16 anos.

A discrepância entre os números percentuais encontrados nessa pesquisa e nas outras que cobriram as faixas acima de 16 anos surpreendeu um pouco, mas é correta, segundo os analistas. Cabe agora aos especialistas fazer as interpretações desses números.

Para refrescar as memórias, vamos a um comparativo com a última pesquisa Datafolha acima dos 16 anos:

Clube

4 a 12

+ de 16

Flamengo

23

17

São Paulo

11

8

Corinthians

10

12

Vasco da Gama

5

6

Palmeiras

5

6

Seleção Brasileira

4

2

Cruzeiro

3

3

Botafogo

2

2

Santos

2

2

Essa tabela comparativa só contempla, infelizmente, os 8 clubes citados na pesquisa com as crianças. Tão logo as tabelas da pesquisa estejam disponíveis, tentarei completar esse comentário.

De maneira geral, olhando os números só vemos grandes diferenças nos que dizem respeito ao Flamengo, com mais 35% de preferência em relação à pesquisa com adultos, ao São Paulo, com mais 37% e ao Corinthians, onde a diferença de dois pontos percentuais corresponde a menos 17% na comparação com a preferência declarada na pesquisa entre adultos.

Sim, há a margem de erro, da ordem de 3%, que precisa ser considerada em qualquer análise. Por outro lado, as pesquisas nos últimos anos têm sido muito consistentes e raramente a margem de erro tem outra função que não a teórica.

O que salta à vista numa primeira análise, é que nessa faixa etária a preferência clubística é muito sujeita a chuvas e trovoadas, e é muito comum as crianças mudarem sua opção mais de uma vez. Ora porque a televisão mostrou o campeão, ora porque o tio deu uma camisa, ora porque o pai levou ao estádio, ora porque os amigos influenciaram.

Uma coisa, porém, é mais que certa: se o futebol dá pano pra manga, pesquisa, ainda mais de futebol, dá mais pano ainda, pras mangas e pra uma roupa inteira.

Divirtam-se e costurem, o pano está na mesa.

.

Marcadores: , , ,

12 Comments:

  • At 1:35 PM, Blogger RODRIGO MOLINA said…

    Boa Tarde, Emerson.

    Discordo do amigo que a preferência clubística, mesmo na mais tenra idade, esteja sujeito a chuvas e trovoadas. O "vira-casaca" é a exceção da exceção da exceção...

    E algo que salta aos olhos mesmo em uma primeira análise da pesquisa, é que mesmo somando os números alcançados pelo segundo colocado com os números do terceiro, como se fossem uma só torcida, ainda assim não alcançariam o líder na preferência clubística entre as crianças de 4 a 12 anos.

    Também salta aos olhos que a soma da preferência infantil por Vasco, Palmeiras, Seleção Brasileira, Cruzeiro, Botafogo e Santos também não alcança os números da preferência pelo primeiro colocado nas pesquisas.

    Portanto, com todas as chuvas e trovoadas possíveis e imaginárias, mesmo com tzunamis, terremotos, dilúvios, ciclones e tufões...estes números pouco se modificarão...É fato.

    No aguardo por novos dados. Adoro pesquisas de opinião.

    Um abraço.
    Rod.

     
  • At 3:32 PM, Anonymous Anônimo said…

    Primeiro vou fazer uma analise única e exclusivamente sobre a notícia da pesquisa, tal qual ela foi divulgada, nos diversos sites esportivos. Depois faço um outro comentário sobre a pesquisa em si.

    Na minha opnião, do jeito que foi divulgada, a notícia é tendenciosamente favorável ao São Paulo Futebol Clube. A maneira como ela é exposta não revela informações importantes, e faz suposições subjetivas. Vamos a elas:

    Primeiro: A afirmação "o São Paulo pode ultrapassar o rival Corinthians nos próximos anos.", é totalmente vaga! O que são próximos anos? 2 anos, 10 anos? No ritmo sugerido pela pequisa levaria em média 30 anos. (depois eu mostro as contas)

    Segundo: Toda pesquisa tem margem de erro, ainda mais uma que é feita com amostragem tão pequena. Nesse caso os números de 11% e 10% estão certamente estão dentro da faixa de erro. Ou seja pode ser que ao contrário do que diz a pesquisa, a torcida do corinthians esteja crescendo mais que a do são paulo. Com base somente nessa pesquisa é impossível emitir tal afirmação.

    Terceiro: Apresentar o valor final com precisão de 0 casas decimais pode distorcer muito o resultado. Senão vejamos:
    - São Paulo: 852 * 11% =~ 94
    - Corinthians: 852 * 10% =~ 85
    Nesse tipo de aproximação tem se por praxe tudo que for menor que 0,5% aproximar para baixo e o que for maior para cima. Assim, os dados poderiam ser desde:
    - São Paulo: 852 * 10,56% =~ 90
    - Corinthians: 852 * 10,45% = ~89
    Ou
    - São Paulo: 852 * 11,38% =~ 98
    - Corinthians: 852 * 9,51% = 81
    Ou seja, podem ter acontecido de que nesse universo exista apenas uma criança são paulina a mais, ou até 16 crianças, o que é bem mais significativo. Da maneira como o dado é colocado é impossível saber.

    Quarto: A faixa etária pesquisada não é informada. Crianças são muito voluveis com releção ao seu time de futebol. E não raro, para agradar a mais de uma adulto querido elas dizem torcer por mais de um time. Se a pesquisa envolve crianças de baixa idade ela perde em muito o seu valor.

     
  • At 3:41 PM, Anonymous Anônimo said…

    Como já esperava, você foi atras de dados mais consistentes, e conseguiu algumas informações que não havia encontrado antes. Primeiro a margem de erro. Segundo a faixa etária... Assim alguns dos meus questionamentos feitos acima tem sua resposta. Mas não muda o fato de eu achar a redação inicial extremamente tendenciosa.

    Já havia feito as contas considerando uma faixa etária hipotéitica de 7 a 14 anos. Então ai vão elas:

    Considerando:
    - População total do Brasil: 190.000.000 de habitantes
    - Torcida atual Corinthians: 12% do brasil = 22.800.000
    - Torcida atual São Paulo: 8% do brasil = 15.200.00
    - Diferença atual (SCCP-SPFC)= 7.600.000
    - Faixa etária de: 7 a 14 anos (não fica claro na pesquisa, vou assumir que seja)
    - Taxa de mortalidade brasileira =~ 1%
    - Porcentagen da população brasileira entre 7 e 14 anos = 15%
    Tomando por base esses números, e considerando que nessa faixa etaria a torcida do São Paulo é 1% maior que a do Corinthians, e supondo que a distribuição seja homogênea entre as idades, tem-se que a cada o ano o São Paulo ganha em média 270.000 torcedores a mais que o Corinthians (0.01*190.000.000 / 7).
    Considerando que a taxa de mortalidade no brasil temos que, estatisticamente, morrem 22.800 corinthianos por ano (190.000.000 * 0,01 * 0.12) e 15.200 são paulinos (190.000.000 * 0.01 * 0.08). O que da um deficit de 7600 corinthianos.
    Somando os novos são paulinos com a perda de corinthianos, temos que o número de são paulinos a mais que corinthianos por ano é de aproximadamente 280.000.
    Ou seja, mantidos essas taxas de natalidade e mortalidade e crescimento das torcidas, o São Paulo terá mais torcedores que o corinthians em 27 anos (7.600.000/280.000)

    Como a faixa é mais abrangente ainda de 4 a 12 anos (como é que pode alguem considerar a opnião de uma criança de 4 anos de idade???), o total de anos aumentaria um pouco mas nada significativo...

    Por fim, acho que é extremamente complicado se falar de qualquer tipo de tendência em uma pesquisa tão pouco abrangente, e com margem de erro tão significativa. Além do que faltou um dado importante: o quanto essas crianças realmente se interessam por futebol. Aposto que ai no meio tem muita menina (e alguns meninos também) que escolhem um time por escolher, mas não sabem nem quais campeonatos esse time disputa.

    Gustavo Oliveira

     
  • At 4:19 PM, Blogger Emerson said…

    :o)

    Rod e Gustavo são costureiros de mão cheia.

    Hahahahahaha...

    Bom, vamos lá.

    Rod, nessa faixa etária as crianças são, sim, muito influenciáveis. Atrevo-me a dizer que a campanha do CRF nesse início de ano, o bi do SP e o rebaixamento do SCCP influenciaram, sim, essas respostas.

    Mas, é algo difícil de discutir sem pesquisas de aprofundamento, que saiam do quantitativo, como essa, e sejam qualitativas, indo atrás de motivações, razões, etc.

    Mas, nesse caso, fico com meu feeling: as declarações sofreram influências positivas e negativas.

    Gustavo, antes de mais nada, dê uma olhada no post de 15 de janeiro desse ano, aqui mesmo no OCE, e nos anteriores a ele. Ali eu mostro que população brasileira que torce por algum time ou gosta de futebol, é de cem milhões de pessoas apenas de 16 anos.

    :o)

    No mais, o que escrevi pro Rod aplica-se em parte ao que você escreveu.

    Quanto à leitura feita pelos jornais e sites, bom, nada de estranho. É simplesmente uma forma de chamar mais a atenção.

    Pode ser que a torcida são-paulina supere a corintiana, pode ser.
    Mas é muito grande o número de variáveis envolvidas nisso, é algo distante demais. Implica num SP vencedor rotineiro - o que não é difícil, muito menos improvável - e um Corinthians perdedor rotineiramente - o que considero difícil, pouco provável.

    É um tema que não me atrai particularmente.

    O que é consistente, porém, pesquisa a pesquisa, é o crescimento da torcida e a consolidação como terceira força nacional.

    As pesquisas mostram, também, o crescimento do Grêmio e, mais recentemente, do Cruzeiro.

     
  • At 6:21 PM, Anonymous juliano said…

    isso é coisa, é oque todos queriam, botar lenha na fogueira, daqui a pouco vao fazer uma pesquisa com criancas de 4 a 10 anos, e colocar o SP pra disputar a 1º colocacao com o flamengo.
    o SP pra chegar junto do flamengo em pesquisas com adultos, teria que fazer uma campanha parecida com a do flamengo na decada de 80, só assim daqui a vinte anos ele se juntara e ficara ao mesmo nivel.

     
  • At 1:51 AM, Blogger Chico da Kombi, said…

    |
    Muito boa a sua análise, caro Emerson, mas a pesquisa está equivocada no ítem Botafogo.
    Segundo o DataKombiNews, o Glorioso da Estrela Solitária tem 5% na faixa 4 a 16 anos e 8% na faixa mais de 16 anos. A torcida botafoguense totaliza 4.951.178 almas alvinegras.
    Abraço.
    |

     
  • At 9:39 AM, Blogger RODRIGO MOLINA said…

    "O time de nossa escolha é o receptor de nossa primeira lealdade"

    "Nenhum brasileiro que se preza muda de time"

    "Quando eu, Fluminense, descobri, que papai era Flamengo, transformei meu genitor num 'outro'. Num estranho ou vizinho. Como é que meu pai podia ser desse time de fanáticos, de pretos e pobres; e não pertencer automaticamente ao 'meu' tricolor, tantas vezes campeão e cheio de classe e nobreza?"

    Trechos extraídos do artigo "QUE TIME É TEU? OU O ETERNO RETORNO DO FUTEBOL", de autoria do antropólogo Roberto DaMatta, publicado na pag. 7, de "O Globo" de hoje, dia 25/06/08.

    Emerson, vale a pena comprar o Globo de hoje pra ler esse artigo. Roberto DaMatta é craque!

    Rod.

     
  • At 2:36 AM, Anonymous Anônimo said…

    Muito lucido os comentarios de Rodrigo Molina. Ao que me parece, o que melhor analisou a situacao proposta. Disse exatamente o que me veio em mente comentar ao ler o post.
    A unica coisa a complementar sua analisa R. Molina: a um tempo atras, lendo uma entrevista com uma importante pessoa ligada ao futebol (vao me desculpar, mas tentei muito me lembrar quem, ou ao menos sua atividade, em vao... acredito que era um grande ex-jogador), nao me esqueco de sua resposta ao ser perguntado como acontece o aumento numerico de uma torcida... Respondeu ele que, o que faz grande um clube sao principalmente seus idolos. Mais que titulos, rendas, numeros e etc.
    E realmente, talvez seja um fator que pouco levamos em consideracao nesse mundo de numeros. Porque times como Flamengo nao so nao estagna como cresce sua torcida em relacao a times como o Sao Paulo, que ganhou seus titulos importantes nessa decada e passada?
    Faz sentido.

     
  • At 3:20 AM, Anonymous fabio p. said…

    As vezes mais vale um folclorico Fio ou Obina em campo, cantado e reverenciado pela molecada do que um titulo brasileiro conquistado com 12 empates e vitorias (e derrotas) de 1x0 e 2x1.
    A paixao quase nunca e despertada por fatores racionais.

     
  • At 1:39 AM, Anonymous Anônimo said…

    essa tua lista ta errada.. no site do Gremio dizia o clube ficou em 6º

    "A nível nacional, o Grêmio ficou em sexto lugar, com 5% da preferência. O primeiro lugar ficou com o Flamengo, que obteve 23%. O Tricolor é o líder dos clubes fora do eixo RJ/SP e ficou à frente da Seleção Brasileira, que foi apontada por 4% das crianças.

    Na região Sul, o Grêmio aparece em primeiro lugar. E um dado interessante: a Região Sul é a única do Brasil em que um time que pertence à ela tem o maior número de torcedores. No caso, o Tricolor gaúcho. Em todas as outras Regiões, o Flamengo lidera."
    http://www.gremio.net/news/view.aspx?news_type_id=16&id=5241&language=0

     
  • At 6:02 PM, Anonymous Érico said…

    A pesquisa comprova que as torcidas que mais crescem são a do Mengão e do São Paulo (esta parcela provavelmente composta por este gatotos indecisos pertencentes a tribo Emo).

    Curintia em breve irá diminuir ainda mais com a vergonha que passará em seu centenário master.

     
  • At 6:03 PM, Anonymous maloqueiro said…

    Esse Said posta pra caramba, ê sujeito a toa!!!

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home