Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quarta-feira, junho 18, 2008

TV em São Paulo: briga de foice...



...no escuro.

Assim está a disputa por audiência em São Paulo entre as emissoras de televisão de sinal aberto.

A Record cresce de forma consistente entre as classes D e E, onde já detém a liderança – seus índices de audiência no horário nobre cresceram 64% desde 2005, mas o crescimento dessas duas classes foi impressionante: 105%. Já na C, ela cresceu 79% e apenas 26% nas A e B. Outros pontos importantes: crescimento de 142% na faixa etária de 4 a 11 anos e 108% na faixa dos 12 aos 17. Entre os telespectadores com mais de mais de 50 anos seu crescimento foi de somente 25%.

Ao mesmo tempo, o SBT, tradicionalmente a “tv dos pobres”, vem recuperando alguns bocados de audiência, alavancado agora, também, pela reexibição da velha “Pantanal”.

Esse é o cenário que provocou a decisão da TV Globo de pedir à CBF a transferência para 4ª-feira, dia 25, do jogo do Corinthians contra o Bragantino, inicialmente previsto para o sábado, dia 28. Na noite de 4ª, o Fluminense joga sua primeira partida pela decisão da Libertadores e, na Grande São Paulo, o jogo exibido no horário será o do time do Parque São Jorge.

Assim, a Série B chega ao horário mais nobre da televisão, embora por motivos outros que não a sua qualidade ou importância.

Essa decisão da emissora do Jardim Botânico já provocou protestos, como o de Roberto Horcades, presidente do Fluminense, mas na avaliação dos executivos da Globo a perda de audiência seria muito grande se fosse transmitido o jogo de Quito.

Nessa decisão pesou de forma significativa, com certeza, o perfil do torcedor corintiano na Grande São Paulo, tanto em sua composição social como etária. Com essa medida, não será nenhum espanto se a audiência ultrapassar os 40 pontos, com grande participação de públicos que normalmente estariam sintonizados na Record, principalmente.

Sorte da Medial que patrocina o Corinthians e, principalmente, do time de Bragança, que ganhará uma grande audiência no horário nobre caída do céu.

Esse Olhar Crônico Esportivo conversou com Luiz Arthur, responsável pelo marketing do Clube Atlético Bragantino, e ele comentou que vão aproveitar o evento para motivar uma ou mais empresas a assinarem um contrato de patrocínio com o clube. A idéia é que isso seja feito para todo o Brasileiro da Série B e não apenas para esse jogo.

Durante o Campeonato Paulista o clube foi patrocinado pela Embratel, que ele informou estar entre os possíveis novos patrocinadores.

Ao terminar nossa conversa, Luiz Arthur disse que será muito bom, também, aproveitar para quebrar a série invicta corintiana num jogo visto por muitos milhões de pessoas.



Perfis de audiência

A distribuição da população brasileira por classes sócio-econômicas (em tempo: essa divisão por classes é de caráter econômico e sobretudo mercadológico, sem ligação com as classes sociais como são definidas pela sociologia) apresenta hoje a atual divisão: de cada cem brasileiros, 33 são das classes A e B, 46 da C e 21, da D e E.

Completando as informações, a Record tem hoje o perfil de audiência mais popular.

De cada cem telespectadores da rede, 31 são das classes D e E, 49 da C e 20 das classes A e B. Seu público tem 48% a mais pessoas das classes D e E (que recebiam até R$ 485 em 2005) do que a média da população.


No SBT a composição atual da audiência é de 24 pessoas das classes A e B, 50 da C e 26 da D e E para cada grupo de cem telespectadores.

Da mesma forma que a Record, a rede de Silvio Santos tem proporcionalmente menos telespectadores mais ricos do que a média da população, que é seu perfil histórico, diga-se.


A audiência da Globo praticamente espelha a composição social da população.

De cada cem telespectadores, 31 são das classes A e B, 47 são da C e 22 estão nas classes D e E.

Outro ponto importante para melhor entender esse quadro e a decisão global: nos últimos dois anos as classes C, D e E apresentaram grande crescimento percentual em suas rendas e alavancaram fortemente os índices de consumo dos mais variados produtos, antes quase restritos ao consumo das classes B e A.

Elas são, de certa forma, a menina dos olhos do marketing de massa.


Fontes: IBGE, IBOPE e "Outro Canal" - FSP.

.

Marcadores: ,

1 Comments:

  • At 6:25 PM, Anonymous Juliano said…

    isso só contribui com a informacao que o corintias só tem torcida em sp, no resto do brasil, ocupa a 4º 5º colocaçao geralmente.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home