Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, junho 05, 2008

Naming rights - em primeira mão

Naming rights em alta - Na Espanha


E no Brasil - Em primeira mão para o leitor do OCE



Para quem ainda achava estranha a compra dos naming rights da Libertadores pelo Banco Santander: o Banco Bilbao Vizcaya – BBVA – maior concorrente do Santander na Espanha e em muitos outros países, comprou os naming rights dos campeonatos da Primeira e Segunda Divisões da Liga Espanhola. Uma prova a mais, como se fosse necessário, da importância crescente desse tipo de comunicação.

O negócio foi fechado para as temporadas de 2009/2010 até a de 2011/2012, e ficou em 20 milhões de euros por temporada – cerca de 50 milhões de reais – totalizando, em três anos, 151 milhões de reais, ao câmbio de hoje.

Portanto, a partir de setembro já teremos a Liga BBVA na Espanha e, por aqui, a Copa Santander Libertadores.
O campeonato da Segunda Divisão, hoje denominado Liga BBVA, passará a chamar-se Liga Adelante.

(Mais informações no post scriptum.)



Em primeira mão - Naming Rights do Brasileiro 2009


Enquanto isso, a CBF e o Clube dos 13 continuam negociando os naming rights do Campeonato Brasileiro de 2009 em diante.

Segundo fontes desse Olhar Crônico Esportivo, o valor desejado está na casa dos 20 milhões de reais por temporada – para manter uma proporção nas duas moedas: 8 milhões de euros – e o acordo não está distante, a diferença percentual entre o desejado e o oferecido é pequena.

Num primeiro momento, algumas publicações divulgaram essa negociação citando o Banco do Brasil como o parceiro interessado e que essas negociações estariam sendo feitas pela CBF sem a participação do Clube dos 13.

Entretanto, esse Olhar Crônico Esportivo apurou e publicou na época, não só que o Clube dos 13 era ou deveria ser parte integrante de qualquer negociação, como também que a negociação com o Banco do Brasil ou qualquer outro banco (o que afasta, igualmente, o Santander) era impossibilitada pela presença do Banco Itaú como um dos patrocinadores do Brasileiro na Globo.

As negociações em curso nesse momento e que, ao que tudo indica, chegarão a final feliz, são feitas com a Ipiranga, mais precisamente a Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga, aquela que diz que brasileiro é louco por carro, em comerciais bem divertidos (já foram mais divertidos que a safra atual, na minha opinião – como aqueles do motorista que lembra as placas até do Gordini e esquece o nome da Leda e o do bebê que só dorme no carro... impagáveis!).

Infelizmente, ao tentar ouvir a Ipiranga a respeito, esse blogueiro descobriu que falar com a empresa é tarefa reservada a poucos privilegiados. Seu site só traz alguns 0800, nenhum dos quais com operadores que tenham permissão para dar os telefones da área de imprensa da empresa, apenas orientam a enviar um e-mail. Certas coisas, porém, precisam ser resolvidas no ato, pela antiga via telefônica mesmo.

Pelo “auxílio à lista” da Telefônica, nenhum dos números fornecidos atende.

Portanto, essa informação é divulgada com base apenas nas fontes do Olhar Crônico Esportivo, nenhuma das quais da própria empresa, como ficou claro.


Qual será o nome do Campeonato?

Campeonato Brasileiro Ipiranga da Série A?

Campeonato Ipiranga Brasileiro da Série A?

Qualquer que seja, como bom ipiranguista, que veio ao mundo na Maternidade Cruz Azul, uns 1.500 metros a cavaleiro do Riacho e do Monumento, ficarei satisfeito.
O Ipiranga e o Ypiranga são partes da minha vida.




Post scriptum

A newsletter de hoje do Sport Business, normalmente uma excelente fonte de informações sobre o que rola entre esportes e marketing/finanças, noticia a assinatura do contrato de naming rights entre o BBVA e a Liga Espanhola.

Segundo a SB, cada clube da primeira divisão receberá 750.000 euros por ano, e cada clube da segunda receberá 250.000 euros. Como são 20 clubes em cada divisão, temos o total de 20 milhões de euros por ano, como noticiado. Entretanto, a notícia da SB diz que o acordo tem o valor de 32 milhões de euros por temporada, dos quais 20 milhões é a parte a ser paga diretamente aos clubes. Curiosamente, nada consta a respeito em nenhum outro local, inclusive nos sites da Liga e do BBVA.

Boa parte do foco desse negócio não está no território espanhol, e sim na penetração mundial da Liga Espanhola. Isso já era meio óbvio a uma primeira olhada, mas foi bem destacado pelos presidentes do Banco e da Liga, na assinatura do contrato.

Destaco duas frases dos discursos pronunciados no evento:

“El fútbol representa unos valores universales de esfuerzo, trabajo en equipo, superación y juego limpio que están perfectamente alineados con los valores que defiende nuestro Banco” – disse Francisco Gonzáles, presidente do banco espanhol.

“El Fútbol Profesional es un producto único y exclusivo, es un producto español …con dimensión internacional y visión global, y eso lo ha sabido captar el BBVA”, disse o presidente da Liga, José Luis Astiazarán.



.

Marcadores: , ,

7 Comments:

  • At 8:06 PM, Anonymous Anônimo said…

    O anúncio feito pelo C. R. Flamengo acerca de um novo patrocinador de material esportivo, que conforme divulgado será em valores o maior da américa latina não mereceria um post neste blog tão atento às ações de marketing dos clubes?
    E a campanha até o momento vitoriosa do Fluminense Football Club na copa libertadores, com o diferencial de ter conseguido, após inúmeras tentativas de vários outros clubes brasileiros, eliminar o argentino Clube Atlético Boca Juniors?

     
  • At 8:33 PM, Blogger Emerson said…

    Sim, o possível novo patrocínio rubro-negro é tema interessante e vou abordá-lo, só não sei se já ou se vai demorar. Aguardo algumas informações, entre elas a certeza que o CRF poderá assinar com outra fornecedora antes de acertar sua situação com a Nike.

    Quanto a falar da campanha do Fluminense, essa não é a minha praia predileta. Às vezes comento algo, geralmente não.

     
  • At 3:02 PM, Anonymous Anônimo said…

    esse tipo d epatrocinio não é muito bem visto no brasil, a emissora q deten o direito de transmissão do BR , vetea isse tipo de propaganda, basta lembrar do caso do atleticoPR q mantinha esse tipod epatocinio no seu estadio e era ignorado, mas recentemente o Pão de açucar ec. virou "PAEC" na telinha

    ass: garfield

     
  • At 3:14 PM, Blogger Emerson said…

    Isso é verdade, mas assim mesmo é um bom negócio para o patrocinador.

    Para o Santander, mesmo sem a Globo mencionar, o pacote total é muito interessante e dá grande destaque ao nome da empresa.

     
  • At 4:36 PM, Anonymous Anônimo said…

    Sobre o ponto levantado pelo David, não seria o caso de exigir que o comprador dos direitos de transmissão, no caso a rede globo, chame o campeonato pelo nome da empresa? Talvez não seja possível para esse contrato, mas para o próximo isso deveria ser pensado.

    Gustavo Oliveira

     
  • At 4:37 PM, Anonymous Anônimo said…

    Desculpe, eu quis dizer "levantado pelo Garfield"

     
  • At 10:56 PM, Blogger Emerson said…

    Não vejo como forçar uma emissora a chamar o Campeonato Brasileiro de XPTO Brasileiro.

    É uma questão complicada e, talvez, a Globo ceda, mas não tão cedo.
    Mas esse não é um grande problema.
    Os patrocinadores convivem bem com essa restrição.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home