Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quarta-feira, maio 28, 2008

O “caso” Hernanes

De vez em quando esse blog acerta algumas coisas.

Pena que nem sempre esses acertos aparecem por aqui, ficando no Jogo Aberto, do Lédio, ou no Além do Jogo, do Marcelo.

Como esse caso dos direitos econômicos do Hernanes.

Quando ele assinou com a Traffic fez-se muito oba-oba em torno disso, dizendo uns, dando a entender outros, que essa agência seria dona dos direitos do jogador, seria “dona de seu passe”, que o São Paulo tinha perdido o controle sobre o jogador, etc.

Os comentários na imprensa que mais perto chegaram da verdade, diziam que Hernanes tinha negociado com a Traffic 30% de seus direitos econômicos. E mais não foi dito.

Embora não tenha acesso ao jogador e também não tenha comentado esse assunto com nenhum diretor são-paulino, uma análise acurada do comportamento e entrevistas do atleta e um conhecimento mínimo da política salarial e de renovações do São Paulo, forneceram o bastante para as afirmações que fiz à época:

- o São Paulo tinha renovado o contrato de Hernanes, como era público, de forma antecipada; ora, isso foi feito para garantir ao clube um maior valor em sua futura e óbvia transferência para o exterior; o mesmo procedimento foi adotado com Breno e outros atletas, e o nome disso é “não dormir no ponto” e defender os interesses do clube, sem, sob nenhuma hipótese, prejudicar o jogador ou dificultar sua transferência;

- ao renovar um contrato, ainda mais de forma antecipada motivada pelo crescimento e valorização do jogador, esse precisa ser devidamente recompensado ou, simplesmente, não assina, valendo seu contrato antigo com baixo valor de multa rescisória, adequada ao futebol e ao valor de mercado do atleta quando assinou o contrato antigo;

- essa compensação ao atleta dá-se por meio de luvas, ou aumento (generoso) salarial, ou participação nos direitos econômicos de sua transferência ou uma combinação de dois ou de todos esses fatores; no São Paulo, pelo que eu sei, o mais comum é um bom aumento salarial, mantendo o atleta dentro da política do clube, acompanhado pela elevação da multa de saída e a cessão de percentual sobre essa multa, ou seja, sobre os direitos econômicos de sua transferência;

- no caso do Hernanes, ele recebeu – comentou-se – 25% sobre seus direitos econômicos; achei o valor ligeiramente acima do que imaginava ser a realidade, mas ainda dentro do razoável, visto que Breno conseguira nada menos que 30% em sua renovação antecipada;

- ora, esse jogador é inteligente e tem boa formação, sabe lidar com dinheiro, tem os pés no chão; portanto, ao contrário do açodamento que levou o pai de Breno a negociar com os Sonda a totalidade – ou quase – de sua parte nos direitos econômicos, eu tive certeza que Hernanes vendera à Traffic apenas 30% de sua parte nos direitos; isso daria algo como 8% de seus direitos totais, ficando, ainda, 17% com o atleta e 75% com o São Paulo;

- agora, em conversa com Paulo Vinícius Coelho, o presidente Juvenal Juvêncio revelou a verdade: a Traffic tem apenas 7% dos direitos econômicos de Breno, ou seja, ele próprio tinha recebido do São Paulo a cessão de 20% dos mesmos, vendendo à Traffic 30% dessa cota, algo como 7% (arredondado) que o presidente citou.

Portanto, ao transferir seus direitos federativos, o São Paulo ficará com 80% dos direitos econômicos da transferência, ou seja, algo como 21 milhões de reais caso ele saia por 10 milhões de euros (câmbio de hoje).

Praticamente tudo como esse blogueiro disse que era há pouco menos de dois meses.

Diz o PVC citando a Traffic, que o Barcelona tem interesse em Hernanes e vai oferecer dez milhões de euros ao São Paulo.

Rolam comentários que o Milan e a Internazionale têm, também, interesse nele.

Duas coisas são certas: há interesse de grandes clubes europeus em sua transferência, e sua queda de rendimento é típico sinal que esse assunto vem se desenrolando nos bastidores, o que, por sinal, comentei há poucos dias. A outra coisa certa é que o São Paulo irá vendê-lo e essa será a coisa certa a fazer. Não há como segurar um jogador que tem proposta de um grande europeu. Primeiro, porque jamais (na conjuntura atual) o clube teria condições de recompensá-lo à altura para ficar. Segundo, porque qualquer jogador impedido de tal transferência, simplesmente não teria a menor “cabeça” para permanecer e dar o melhor de si.

Não por maldade ou premeditação, mas simplesmente porque nenhum ser humano normal conseguiria permanecer satisfeito em um trabalho tendo sido impedido de partir para outro muito mais lucrativo e de muito mais futuro.

Vale destacar a importância que tiveram Marco Aurélio Cunha e Muricy Ramalho para que o jogador tivesse esse desenvolvimento e chegasse a valer tudo isso. MAC apostou em sua permanência, incorporou-o ao time que excursionou pela Índia no começo de 2007 e Muricy transformou um jogador mediano ou menos que isso em diversas funções, no melhor volante do Brasil em 2007.


.

Marcadores: , ,

5 Comments:

  • At 3:33 PM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, Veja esses dados:

    http://paginas.terra.com.br/esporte/rsssfbrasil/miscellaneous/torcidas.htm

     
  • At 3:34 PM, Anonymous Anônimo said…

    ...Continuação

    /rsssfbrasil/miscellaneous/torcidas.htm#s16

     
  • At 3:49 PM, Blogger Emerson said…

    Não consigo abrir "páginas terra", meu spy blocking não permite.

    :o(

    Do que se trata?

     
  • At 9:49 PM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, meu caro,

    jamais esquecerei de suas palavras!!

    Não sei o que me espera agora, contra o todo-poderoso Boca Jrs, mas a minha esperança, que fica longe de ser um consolo pra vc, é que o Renato disse pra equipe: o SPFC é melhor que o Boca!!

    Tomara!!

    De qualquer maneira, foi bacana esta Libertadores!!

    Grande beijo,

    Lilu

     
  • At 3:40 AM, Blogger Emerson said…

    Pois é, Lilu, 2x2 em Buenos Aires não é pouca coisa.

    Grande resultado, mas nada vi desse e dos outros jogos, estava e estou editando a noite inteira, rezando para acabar a tempo amanhã.

    Daqui deu para ouvir a gritaria da torcida do Corinthians, a alguns quilõmetros, no Morumbi. Brincadeira...

    E o Edu, o editor que está comigo num dos vídeos, é corintiano roxo.

    Hehehehehehehehee...

    No outro vídeo, o Márcio, que não torce para ninguém e não se liga em futebol, assim como seu filho de 15 anos. Já o de 12 é tricolor fanático.
    Tricolor do Morumbi...
    :o)

    Falta pouco agora, só mais 90 minutos no Morumbi.

    É como eu disse: o São Paulo é metido a besta mesmo, se é para ser eliminado, que seja por um finalista.

    :o)

    Beijão e boa sorte.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home