Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Morumbi: 350 toneladas de doações

Entre a quinta-feira, dia 27 de novembro, e a tarde de terça-feira, dia 2 de dezembro, a Campanha de Arrecadação de Donativos para as vítimas das chuvas em Santa Catarina, e realizada dentro do Programa São Paulo Social, recebeu cerca de 350 toneladas de alimentos, roupas e outros produtos de uso urgente e necessário pelos desabrigados e pelos moradores que retornam a suas casas.

Esse resultado tão impressionante é fruto da mobilização de torcedores são-paulinos e de outros clubes, que deixaram suas doações nos portões do Estádio, no dia do jogo contra o Fluminense, e no portão 1 nos outros dias. Para alcançar esse resultado, todo o clima criado em torno desse jogo contribuiu bastante para o sucesso da campanha.




Receber os donativos era uma parte da campanha. A outra, tão importante quanto, era assegurar que os produtos doados chegassem a Santa Catarina.
Para isso, a parceria inicial com a Granero recebeu o apoio também das transportadoras Expresso Mirassol, A Lusitana, Shuttle, Salvador Logística e Unicargas. Essa enorme quantidade de produtos – alimentos, galões de água, roupas, calçados, cobertores, edredons, colchões, travesseiros, brinquedos, material de limpeza e de higiene pessoal – ocupou nada menos que nove carretas totalmente carregadas, que deixaram o Estádio rumo à Santa Catarina na noite da terça-feira mesmo.

Graças a essa combinação de esforços e solidariedade, os donativos chegaram a Santa Catarina na tarde da quarta-feira.



Quadriciclos para agilizar os resgates


Outro parceiro do São Paulo, a MVK Motos, que também fabrica quadriciclos, procurou o clube e através dele doou 10 desses veículos que serão usados nos trabalhos de resgate e acesso às vítimas em diferentes pontos do estado. Os quadriciclos são veículos de grande mobilidade nos mais diversos tipos de terreno e irão ajudar o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil catarinenses a chegar aos locais comprometidos com mais agilidade e em menor tempo.



O proprietário da MVK, Erik Diego Altrichter, explicou o porque de sua doação:

“Estamos muito felizes em participar. Já tínhamos pensado em uma ação solidária nesse sentido, e quando soubemos que o São Paulo tomou esta iniciativa pensamos prontamente em uma forma de ajudar. Estive na China durante os terremotos recentes, e acompanhei o uso de quadriciclos no resgate e auxílio às vítimas. Vendo a situação em Santa Catarina percebi que lá também seriam uma boa ajuda nos trabalhos.”

Um resultado bonito e impressionante, sem dúvida.
As doações em momentos como esses são de fundamental importância para as pessoas, quando um quilo de arroz ou duas garrafas de detergente, tornam-se bens de inestimável valor, entre tantas outras corriqueiras do nosso dia-a-dia, mas ausentes num quadro de destruição como o que está sendo vivido pelo povo catarinense.




As doações prosseguem


A ação do Clube dos Treze junto aos associados foi um êxito, segundo este blog ouviu de representante da entidade. Praticamente todos os clubes envolveram-se em ações junto a seus torcedores para a coleta de donativos e diversos veículos de informação, como o Sportv, fizeram boas coberturas dessas ações.


O Corinthians já coletou 55 toneladas de alimentos, água potável e roupas, principalmente. Quatro caminhões já deixaram o Parque São Jorge com destino a Santa Catarina e a campanha prossegue até as 18:00 de sábado.
No momento, o pessoal que coordena a campanha no clube está pedindo que as doações se concentrem nos produtos mais necessários: colchões, cobertas e produtos de higiene pessoal.

Também o Palmeiras está com a campanha de coleta em andamento. No domingo, os jogadores entrarão em campo com uma faixa solicitando doações.
Um caminhão já deixou o Palestra Itália levando a primeira carga. Até terça-feira mais um ou dois caminhões partirão para Santa Catarina com os produtos doados.


Desde ontem, a Defesa Civil de Santa Catarina não está recebendo doações no estado por falta de locais para armazená-las antes de fazer a distribuição. O pedido da Defesa Civil é que as doações sejam feitas, preferencialmente, em dinheiro.

Visão muito pessoal: pode parecer o que vocês quiserem, mas confesso-me incomodado com doação em dinheiro. Para isso já existem ações do governo federal, mas o motivo mais forte é muito triste: tenho sempre dúvidas com a entrega de dinheiro para órgãos públicos. Mesmo em situações de calamidade. Minhas doações em produtos já seguiram para Santa Catarina e, espero, já foram distribuídas.


As campanhas dos clubes do Trio de Ferro foram muito boas e prestaram um real serviço à sociedade.



Marcadores: , , ,

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home