Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

sábado, novembro 29, 2008

O BR dos patrocínios



... e o BR dos empréstimos e adiantamentos...



O campeonato dos patrocínios está complicado, talvez um pouco menos que o campeonato dos empréstimos e adiantamentos. Ou talvez muito mais. Tudo que sabemos é muito pouco, talvez nada. Como sempre correm boatos no mercado, fica difícil saber qual boato é mais ou menos factível.


Vasco da Gama
A única novidade concreta neste campeonato nós tivemos na semana que passou: o distrato do Vasco com a Reebok e a assinatura de novo contrato com a
Champs.

Pela reação da Reebok e pela citação explícita da quebra de sigilo, fica claro que os valores antigos revelados pela nova diretoria vascaína são verdadeiros e não chegam à metade do valor do novo acordo: 7,4 milhões de reais por ano, dos quais 6 milhões em dinheiro.
Já escrevi muito sobre isso, inclusive sobre os desdobramentos que estamos vendo. Considerando o cenário mundial e brasileiro, mantenho minha avaliação original: é um bom contrato (levando em consideração, claro, o que sabemos a respeito).

Ainda no Vasco, aguarda-se para os próximos dias o prometido anúncio oficial do patrocínio da estatal
Eletrobrás. Não há informações a respeito, mas, caso se concretize, seu valor deverá ficar por volta de dez milhões de reais, no mesmo patamar, portanto, do patrocínio palmeirense para 2009 (na avaliação e previsão deste blog).



Flamengo
Ainda às turras com a
Petrobrás. O clube pediu um mínimo de 20 milhões para renovar, deixando fora os esportes olímpicos, livres para buscarem seus próprios patrocínios.
A contraproposta Petrobrás foi manter os mesmos 16,2 milhões de reais desse ano, aplicando uma correção correspondente à inflação do período, o que deve ter levado a proposta a algo entre 17,5 e 18 milhões de reais, com os esportes olímpicos e mais a TV Fla incluídos, tal como nesse ano.

Enquanto este blog é lido, as negociações prosseguem. A PET já disse há dias, por meio de seu executivo da área, que não vai aumentar os valores. O Flamengo já deveria ter ido seriamente ao mercado em busca de novo patrocinador, mas ficou preso ao cômodo patrocínio da estatal, mesmo com as freqüentes suspensões de pagamento por conta de problemas fiscais.

Além de ter ido seriamente ao mercado, o clube deveria ter esperado mais tempo antes de enviar sua proposta à empresa, ainda mais da forma como feito o envio, com câmeras e holofotes em cima, criando um fato midiático de uma simples entrega de proposta.


Palmeiras
Ainda em discussão a renovação da
Fiat. A Suvinil tem contrato até 2010.
No caso Fiat o clube tem um trunfo precioso: o apoio nada sutil do governador José Serra, palmeirense de carteirinha e que, quando ministro, chegou a bater boca com Felipão sobre a escalação da equipe.

O mais provável é que não haja grandes mudanças e o novo valor corrija monetariamente os 8,5 milhões pagos em 2008, talvez até chegando a dez milhões de reais. Esse é o valor do patrocínio de fato.

Premiações por títulos não devem ser consideradas como parte do pacote, ao contrário do que fez a SEP – Sociedade Esportiva Palmeiras – em dezembro passado, ao anunciar o acordo com a Fiat.

A Suvinil pagará em torno de 40% disso, algo como 4 milhões de reias, pouco mais, pouco menos, o que levará o patrocínio conjunto Fiat/Suvinil para um valor entre 13 e 14 milhões de reais, contra os atuais doze milhões.


Sport Club Corinthians Paulista...
... aparentemente, Luiz Paulo Rosemberg está em compasso de espera. A menos que já tenha algum patrocínio muito bom em fase adiantada de acerto, o mais provável é que espere o São Paulo fechar com seu novo patrocinador para, então, exigir um valor no mínimo semelhante ao do São Paulo. Se eu fosse diretor do Flamengo estaria com a mesma postura.

No Corinthians uma coisa é certa: a Medial sai, fato já anunciado até pela empresa. Sanches e Rosemberg contam com pelo menos 20 milhões de reais, um bom crescimento em relação aos atuais 16,5 milhões.

Aqui um ponto a favor do clube para 2009: tal como no caso do Palmeiras e também do São Paulo no próximo ano, haverá negociação separada, para outra empresa, das
mangas da camisa. O contrato em vigor foi mal redigido, essa é a explicação cabal e verdadeira, e com isso o clube, que imaginava negociar as mangas por um grande valor – algo como 5 a 6 milhões – teve de submeter-se à vontade do patrocinador.

Nos corredores do Parque São Jorge comenta-se que o patrocínio será de 20 milhões, fora as mangas, o que poderia dar ao Corinthians um patrocínio de camisa somado no valor de 24 a 26 milhões de reais, dentro dessa projeção.

As bocas estão bem fechadas na Fazendinha, e não há, ainda, circulação de nomes prováveis ou possíveis.


São Paulo
O jornal O Estado de S.Paulo publicou nesta última quinta-feira, boa matéria sobre o tema, com o vice-presidente de marketing, Julio Casares.

Em linhas gerais, diz o artigo que depois de suspender as negociações e aguardar pelo desenrolar dos acontecimentos nos Estados Unidos e na Europa, a direção resolveu bancar a pedida e está apontando que vai conseguir um valor superior ou igual a trinta milhões de reais.
A matéria do jornal não diz, mas assim como o Corinthians o São Paulo vai negociar separadamente as mangas do uniforme.

Julio acredita conseguir esse valor em função dos diferenciais positivos do clube e da alta exposição de mídia da marca a ele associada.

O que se ouve no Morumbi é que há quatro empresas seriamente interessadas: a chinesa
AOC, maior fabricante mundial de monitores e que está entrando no mercado de televisores; se o acordo for com eles, será uma situação com pontos de semelhança ao início do patrocínio da LG, uma marca, na época, pouco conhecida.

A própria
LG é uma candidata, mas a direção do São Paulo, aparentemente, não vê com bons olhos essa parceria, recordando que em 2004 o acordo foi firmado à custa de decisão judicial buscada pela patrocinadora, pois o São Paulo pretendia fechar com a Siemens. Outro imbróglio que desagradou à diretoria ocorreu em 2007, no início do ano, quando uma crise sobre o espaço da Habib’s nos uniformes de treinamento e no CT da Barra Funda, levou à suspensão do pagamento por dois meses.

Um parênteses necessário: considerando os movimentos feitos pela LG nas últimas semanas na Europa e nos Estados Unidos, como o patrocínio da Formula 1 e as prováveis investidas no esporte americano de alto nível, até mesmo ocupando espaços deixados vagos pela seguradora AIG, não é difícil imaginar que os coreanos renovem com o São Paulo dentro de uma visão global de comunicação e do uso do esporte como plataforma preferencial. Hoje, na America Latina e junto a parte da comunidade hispânica americana, o São Paulo é um nome bastante conhecido.

Outras duas eletrônicas, a coreana
Samsung e a japonesa Sony, nome que começou a ser ventilado somente agora, são igualmente possíveis.

Mas parece haver uma discreta preferência, pelo menos por parte dos torcedores, pela patrocinadora do Arsenal, do PSG e talvez do Milan, a
Emirates Airlines.
Como este Olhar Crônico Esportivo já abordou anteriormente, a Emirates está muito satisfeita com sua rota São Paulo/Dubai, recebendo também os passageiros que vêm e que vão para Buenos Aires. Há conversas em andamento sobre a possibilidade de Viracopos vir a receber os gigantescos Airbus 380, o maior avião do mundo, que propiciaria um enorme salto nessa ligação, com seus 700 a 800 passageiros em cada vôo. A Emirates, também, é patrocinadora da
FIFA, assim como a Visa, que vai reformar todo o anel térreo do Morumbi, e isso se encaixa à perfeição na luta do São Paulo para ter o jogo inaugural da Copa do Mundo de 2014.

Enfim, há muitas fichas em jogo nesse momento nos cinco maiores clubes brasileiros em número de torcedores.

Aparentemente, não há movimentação no
Cruzeiro, mas nunca se sabe, pois além dos Perrela controlarem tudo de forma absolutista, mineiro trabalha em silêncio, como dizia meu pai, que ficava em silêncio, sim, mas assobiava.

O
Clube Atlético Mineiro enveredou pela contramão. Parece que vai sair dela, parece, mas é bom esperar por alguma coisa mais concreta.

Tudo em calma no
Santos, pelo menos aparentemente, que segue patrocinado pela Semp Toshiba.

Nas Laranjeiras, o clima parece calmo e calma parece a relação com a Unimed, uma das maiores parcerias do Brasil em valores, já que não dá para chamar simplesmente de patrocínio essa relação.
O probema, nesse caso, é que a relação dá-se entre o
Fluminense, uma instituição, e Celso Barros, presidente e dono da Unimed. Relações como essa podem ser boas demais ou o oposto.

O
Botafogo, sob nova direção, não deverá apresentar novidades, mas Assumpção terá um trabalho hercúleo pela frente, em duas áreas: administrativa, financeira e marketing.
Controlando rigidamente, mantendo o clube viável e gerando o máximo possível de receitas.

O
Grêmio quer romper suas amarras espertamente cravadas pelo Banrisul, mas parece ser mais recomendável levar a relação até um final feliz, sem traumas. No Brasil ninguém em seu juízo perfeito briga com banco oficial. Afinal, manda quem pode e obedece quem tem juízo.

O
Internacional está preso às mesmas amarras.
Amarras de baixo valor: três e meio milhões de reais por ano para cada clube.
Numa análise rápida e simples, sem maior aprofundamento, esse valor deveria estar na casa dos oito milhões, pelo menos.


Esse é o campeonato em andamento.
Faltam informações.
É difícil, inclusive, conseguir balanços de clubes grandes, importantes.
Já o Barueri não faz segredo e sempre forneceu seu balanço.


Vale destacar que o crescimento de patrocínios e receitas de licensing nos grandes clubes têm reflexos positivos sobre toda a cadeia do futebol, em verdadeiro efeito cascata. Às vezes é difícil perceber a floresta em meio às árvores, mas há mudanças em curso.
Para melhor.

.

Marcadores:

1 Comments:

  • At 3:59 AM, Blogger Paulo Cesar Ceglia said…

    Caro Emerson,

    Parabéns pelo blog e só pra informá-lo que como dissemos na Imprensa São-paulina, quem ventilou a possibilidade da Sony, que a empresa também é patrocinadora FIFA, levando vantagem por conta do bom relacionamento com a mesma.

    Abraços,

    Paulo Cesar Ceglia

    http://imprensaspfc.blogspot.com

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home