Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, novembro 27, 2008

Manchester United vai trocar de patrocinador...




... e Tiger Woods perdeu o seu



As notícias que vêm da Europa e Estados Unidos não surpreendem mais, pois já estamos preparados para recebê-las. Entretanto, se não mais trazem surpresas, elas continuam causando, ou melhor, aumentando a preocupação pelo cenário dos próximos dois anos, pelo menos.

É importante termos em mente que marketing e propaganda ativos são sinais de economias pulsantes, em crescimento ou estabilizadas (relativamente) com um alto nível de atividades. Quando essas ações são cortadas, simplesmente, isso é um sintoma de algo mais grave ocorrendo na base.

Boas ou más, não importa, são notícias e é sempre melhor conhecer o que se passa do que permanecer na ignorância. Esse post é típico de momentos como esse que vivemos: ao lado dos cortes de alguns, vem também a informação que outros estão aproveitando as oportunidades e investindo.

Outro ponto importante e que já foi destacado e convém recordar: pensando no futebol, os grandes clubes serão menos afetados pela crise que os pequenos.



Dois movimentos simultâneos:


1 – Em New York, confirmando previsões postadas ainda em setembro por este Olhar Crônico Esportivo, a
AIG – American International Group -, maior seguradora do mundo e também agente de inúmeras operações financeiras, está preparando o cancelamento de vários de seus patrocínios nas mais diversas áreas. Todas as despesas estão sendo cortadas, a ponto de seus principais executivos, a começar pelo presidente-executivo Edward Liddy, trabalharão nos próximos dois anos em troca do salário simbólico de 1 dólar. Isso mesmo: um só dólar.

Entre os patrocínios já cortados, segundo a Máquina do Esporte, estão os do New York Yankees e Houston Astros, no beisebol, os patrocínios do New York Knicks e Houston Rockets, que disputam a NBA, o torneio de tênis AIG Japan Open, o Irish Champion Hurdle, uma das principais provas hípicas da Europa e o New Orleans Jazz Festival. Segundo a Máquina do Esporte, a coreana LG e a Saudi Telecom assumiriam algumas dessas oportunidades.


2 – Embora tido como certo, apesar de válido até 2010, o Manchester United não foi mencionado na lista dos patrocínios cancelados, mas de acordo com matéria do The Telegraph e do site euFootball.BIZ, o clube já negocia há algum tempo com a
Saudi Telecom - STC.

Em agosto, ingleses e sauditas assinaram um contrato de patrocínio no valor de 9,3 milhões de libras ou 10 milhões, dependendo da fonte, válido por cinco anos. Esse contrato garante a presença da STC no site e no estádio do Manchester.

O novo acordo em negociação substituiria a AIG na camisa e terá valores considerados muito altos. Embora não informado, esse acordo com a STC livraria a seguradora americana de gastar perto de 30 milhões de libras, algo próximo de 50 milhões de dólares. Além disso, com certeza, os atuais patrocinadores abrirão mão de cobrar a multa rescisória que não deve ser pequena.




Tiger Woods “a pé”


O melhor golfista do mundo perdeu seu principal patrocínio: a GM, através de sua Divisão Buick, cancelou o contrato de patrocínio que mantinha com Woods há quase dez anos. Um claro e imediato reflexo da crise que atinge em cheio as grandes montadoras americanas, agora agravada pela crise do Crash e sua falta ou encarecimento de crédito para o consumidor.

O valor do contrato era de dez milhões de dólares por ano e a marca Buick atingiu grande visibilidade presente no saco de tacos de Tiger Woods durante esse período.

Ironicamente, como lembra o inglês The Guardian, Woods dirige um Porsche e as vendas dos modelos Buick caíram 58% nesse período, uma das maiores quedas entre as diversas divisões da montadora. A bem da verdade, os modelos Buick têm a velha concepção americana de enormes carrões ultra-confortáveis e bebedores de galões e galões de gasolina.

Pensando bem, apesar do título desse bloco, Mr. Woods não ficará a pé.
Não enquanto puder pagar a gasolina Premium de seu Porsche.



Não ficarão a pé...


...Berger e Red Bull.

Falar em Porsche lembra Ferrari, e Ferrari lembra Formula 1.

A Red Bull adquiriu a parte de Gerhard Berger na Scuderia Toro Rosso, a STR.

Bom para o simpático e sempre querido Berger e ótimo para a Red Bull.




Apesar da crise, apesar do Crash, o mundo se move, com Obama preparando as mudanças em Washington.
Que não serão muitas, mas já ajudarão um bocado.


Na manhã de hoje o Estadão chegou aos leitores com uma matéria interessante: Julio Casares, vice-presidente de Marketing do São Paulo, afirma que o clube voltou a negociar o patrocínio nos últimos dias e novamente na faixa de 30 a 32 milhões.
Mais tarde comentarei a respeito.

.

Marcadores:

2 Comments:

  • At 1:54 PM, Anonymous Francisco Luz said…

    Emerson, a respeito do seu comentário sobre a situação do Vasco com relação à nova fornecedora de materiais, você chegou a ver a resposta da Reebok? Pelo jeito, as diferenças entre Dinamite e Eurico são bem menores do que se esperava...

    Atenciosamente,
    Francisco Luz

    =-=-=-

    FUTEBOL - NOTA OFICIAL À IMPRENSA
    27/11/2008

    Tendo em vista as notícias divulgadas pela imprensa nos últimos dias sobre o anúncio de nova empresa fornecedora de materiais esportivos do Club de Regatas Vasco da Gama, a Reebok, marca da empresa Vulcabras S.A. e atual fornecedora oficial de material esportivo do clube, em respeito aos torcedores, imprensa, consumidores e público em geral, esclarece:

    1 - O contrato da Reebok com o Vasco da Gama, para fornecimento de material esportivo, é válido até dezembro de 2009;

    2 - Ao contrário do que vem sendo divulgado por representantes do Vasco da Gama na mídia, não existe "comum acordo" entre a Reebok e o Vasco da Gama para rompimento do contrato;

    3 - Em momento algum a Reebok foi comunicada oficialmente pelo Vasco da Gama sobre rompimento ou rescisão do contrato para a entrada de outra empresa fornecedora; a Reebok, surpreendentemente, só tomou conhecimento da decisão do clube através da imprensa;

    4 - Em momento algum o presidente do Vasco da Gama, senhor Roberto Dinamite, que segundo o contrato é quem tem poderes para agir em nome do clube, ofereceu a oportunidade de diálogo com representantes da Reebok para que o contrato pudesse ser discutido entre as partes de forma clara e ética, contrariando, inclusive, declarações de que o clube honraria todos os contratos em vigência;

    5 - A cláusula de "confidencialidade" sobre termos, condições e valores prevista contratualmente foi quebrada inúmeras vezes pelo Vasco da Gama com as decl arações irresponsáveis e incompletas do senhor José Henrique Coelho, diretor do Club de Regatas Vasco da Gama;

    6 – A Reebok continuará cumprindo, assim como o vem fazendo desde 01 de julho de 2006, todas as cláusulas e obrigações contratuais em respeito à grande torcida, irretocável tradição do Club de Regatas Vasco da Gama e aos princípios éticos e profissionais que acredita serem inerentes a este tipo de relação.

    Reebok
    VIPCOMM Agência de Comunicação

     
  • At 10:27 PM, Anonymous Rodrigo Constantino said…

    Emerson, quais são as novidades sobre o patrocínio do SP?

    Esse patrocínio ta mais secreto que a fusão Unibanco/Itaú.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home