Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, dezembro 11, 2008

A “Agenda Positiva” vascaína




No final de 2007, Corinthians rebaixado, Sanches e Rosemberg deflagraram uma série de ações e factóides de marketing. Dia sim, outro também, a mídia trazia alguma coisa do clube do Parque São Jorge. Sem dúvida, o grande lance foi o anúncio do patrocínio da Medial, que, de imediato, tornou-se o maior do Brasil, ainda que, a rigor, empatado tecnicamente com os patrocínios de Flamengo e São Paulo.

Tão positiva foi a "agenda", que cheguei a escrever neste Olhar Crônico Esportivo que o final de ano do corintiano rebaixado seria muito melhor ou muito menos infeliz que o final de ano do palmeirense, que na última hora viu seu time ficar na Série A, sim, mas sem a ambicionada vaga na Libertadores.
Chamei a esse conjunto de fatos & factóides de “
agenda positiva Sanches/Rosemberg”.
(Não sei se por leitura deste blog ou não, mas acabei vendo “agenda positiva” em outros sites e blogs.)

Ao lado do fato “Medial”, Sanches e Rosemberg soltaram montes de factóides. Considerando tudo, quem criticar há de?
A verdade é que, bem ou mal, o torcedor corintiano talvez só tenha percebido que estava na B já com o campeonato iniciado. Mesmo assim tenho cá minhas dúvidas, pois o time disputou a final da Copa do Brasil, e quando ela terminou, já tinha clara e disparada liderança no Brasileiro da Série B, mantida até seu final.
Acho que até hoje o corintiano ainda não sabe, de fato, que disputou a Série B.


Temos, agora, uma situação com pontos de semelhança com a que foi vivida pelo Corinthians: o Clube de Regatas Vasco da Gama foi rebaixado, o ponto que se pretende final de um longo processo de erosão e acumulação de problemas, frutos da gestão Eurico Miranda. Roberto Dinamite assumiu um abacaxi azedo e cheio de espinhos de mandacarus, uma combinação terrível para se pegar e tentar arrumar.


José Henrique Coelho, vice-presidente de marketing vascaíno, pelo que sei é amigo de Luiz Paulo Rosemberg, seu colega de função corintiano, que, por sinal, já falou muito bem dele em programas de TV e conversas com o pessoal do mundo da bola. Acompanhando algumas ações de Zé Henrique, além de matérias na imprensa, fiquei com a nítida impressão que a direção do Vasco iria, na medida do possível, espelhar-se nas experiências corintianas nessa situação, inclusive passando ao Departamento de Marketing a incumbência de criar fatos novos, motivar o torcedor, manter elevada sua auto-estima e, por último, mas não menos importante, gerar novas receitas.

O primeiro passo da “
agenda positiva Dinamite/Zé Henrique” foi o acordo com a Champs como nova patrocinadora e fornecedora de material esportivo, substituindo a Reebok, ação que foi saudada por este blog, embora depois do anúncio tenham aparecido alguns problemas. De qualquer forma, uma ação válida, um grande salto em valores, seguida por uma escolha de novos uniformes.

Este movimento, que podemos chamar de factóide, saiu em hora inapropriada, muito triste, quando o clube ainda lutava contra o rebaixamento e despertou reações extremamente iradas da torcida, de certa forma amortecendo o impacto positivo da troca de patrocinador/fornecedor.
Melhor seria ter esperado mais alguns dias, talvez até para divulgar o patrocínio, mas agora não importa, os dois lances inauguraram a “agenda positiva” vascaína na prática.


Um acordo com a
Volkswagen Caminhões deu ao Vasco um novo ônibus para o transporte de seus atletas. A essa ação, seguiram-se outras duas, de caráter interativo com os torcedores, que foram convidados a escolher uma frase para ser colocada no ônibus e a pintura do mesmo.

O sentimento não pode parar” foi a frase vencedora e a escolha da pintura está em curso, ainda.



Eletrobrás na camisa


Ontem, o Ministro das Minas e Energia e o presidente da Eletrobrás confirmaram o patrocínio ao clube durante os anos de 2009 e 2010, com opção para 2011 e 2012.
Por ano, a empresa pagará ao Vasco
14 milhões de reais, dos quais 11,5 milhões serão destinados ao futebol profissional, e 2,5 milhões para projetos sociais, inclusive capacitação de mão-de-obra para o mercado – o site da Eletrobrás citou o projeto “Mão na Massa”, que capacita mulheres para trabalhar na construção civil.

Aparentemente (as informações não foram muito claras), tais projetos terão como base a estrutura do Vasco em São Januário, que conta, inclusive, com uma escola. Esse, por sinal, é um dos pontos positivos do clube e que vai ajudar a nau vascaína a cruzar o mar tempestuoso da B: sua boa estrutura, a começar do estádio.

Mesmo rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o clube conquista um patrocínio de valor expressivo, que hoje seria o quarto maior do Brasil.

Para um patrocinador, o fato do clube disputar a Série B não é uma contra-indicação, na verdade, pode até ser muito melhor do que se disputasse a Série A sem um time de ponta, sempre disputando a liderança e usufruindo da exposição correspondente.

Fazendo uma boa campanha na B, o Vasco estará presente na mídia com uma intensidade muito grande, o que será positivo tanto para a empresa como para o clube.
Como o atual contrato do Vasco com a MRV termina em janeiro, a Eletrobrás aparecerá nas camisas vascaínas somente a partir de 1º de fevereiro.

Entretanto, há duas coisas que não me agradam nesse patrocínio: uma, é pelo fato do patrocinador ser uma empresa estatal, que não disputa mercado. Da mesma forma tenho a mesma restrição ao patrocínio da Petrobrás para o Flamengo e da Liquigás para o Botafogo, embora a PET ainda tenha, no segmento de óleos lubrificantes uma disputa acirrada de mercado. Como disse, é uma restrição de cunho pessoal.
O patrocínio em si, tal como os outros, nada tem de ilegal, pelo contrário.

A segunda coisa que não me agradou foi a possível, ou provável, intermediação do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, torcedor apaixonado do clube e membro do PMDB, partido ao qual pertencem o ministro e o presidente da empresa.

Por outro lado, e é bom já deixar claro, gostei de ver o governador assumindo publicamente sua participação, nem que somente festiva, nesse caso.
Infinitamente piores são as coisas feitas por baixo do pano.



E o futebol?


Bem, voltando à “agenda positiva”: comenta-se que Roberto Dinamite está conversando com Jose Carlos Brunoro, para assumir o futebol do clube.
A idéia é boa, quanto a isso não há a menor dúvida, mas não creio ser fácil tirar Brunoro de seus afazeres, que bem podem ser descritos como múltiplos, entre os quais a direção do Pão de Açúcar Esporte Clube.

Ainda há pouco conversei com pessoa de seu círculo próximo e a informação é que é mesmo muito difícil ele aceitar um convite como esse do Vasco. Essa frase pode ser interpretada como uma maneira educada de dizer “sem chance”.
Não podemos esquecer que um superintendente de futebol tem que viver o clube 48 horas por dia.

A idéia, entretanto, é muito boa. E... Bom, vamos falar a verdade: deixar vazar esse tipo de informação está dentro das regras do jogo, digamos.

Voltando à realidade, o ideal seria o Vasco contratar um profissional com vivência no mundo da bola, que saiba falar o “futebolês” dos boleiros, de preferência já tendo sido um deles, que tenha autoridade e que tenha passado pelas salas de aula de uma escola de administração, por exemplo. O Corinthians contratou Antonio Carlos, o Zago, que depois de um começo tumultuado parece, agora, ter assumido suas funções com mais propriedade, ou seja, menos conversas e mais ações.

Eu gosto muito do Mauro Galvão, um cara que admirei como jogador e que hoje, ao vê-lo na TV, presto atenção ao que fala. Só não sei se ele tem o perfil para uma função desse tipo.

De qualquer forma, preferiria arriscar com alguém como ele do que trabalhar, como já li referências, com alguém como o Angione. Nada contra a pessoa, que nem conheço pessoalmente, mas seria melhor ter gente nova na área, combinando com a administração que também é nova, com gente nova no mundo da bola.



o dinheiro da TV


Disputando a B, o Vasco perderá
50% do valor dos direitos de TV que receberia se estivesse na Série A.
Isso significa cerca de 15 milhões de reais a menos.

A conseqüência é clara: adequar o orçamento à realidade da competição e buscar, cada vez mais, o apoio do torcedor. Para agravar o quadro, o clube, desde ainda a gestão Eurico, vem antecipando receitas de 2009 para pagar contas de 2008.
Nada há de novidade nisso: essa perda de receita está nos estatutos do Clube dos Treze, e por ela passaram Palmeiras, Botafogo, Grêmio, Corinthians...

O mais que provável aumento de exposição permitirá ao clube desenvolver novas ações e negociar ou renegociar outros patrocínios. É hora de inteligência, criatividade e ousadia, com os pés rigorosamente no chão.

O Vasco terá muita torcida em 2009, pois além de seus torcedores estarão torcendo por seu retorno à Série A todos que gostam de ver o Campeonato Brasileiro disputado por grandes clubes com grandes times.

Ao que parece, já está no caminho certo, no que diz respeito ao marketing e ao suporte financeiro.


.

Marcadores: ,

7 Comments:

  • At 4:41 PM, Anonymous Danilo-ES said…

    Grande Emerson... vlw cara... ótimo texto...
    .
    Enfim, o Dinamite parece estar dando rumo certo ao Vascão... sobre o Coelho, não o conheço, e agora é a hora dele mostrar seu valor... mas já tem mto torcedor cornetando ele... infelizmente...
    .
    Sobre a Eletrobrás, será ótimo pro Vasco... concordo com vc na questão de ser estatal... e sobre a intermediação do Sérgio Cabral, ele foi pinto... o diretor da Eletrobrás disse que o Lula intercedeu também...
    .
    Sobre o Brunoro, li que ele gostou da idéia... e qdo vc disse em ex-jogadores lembrei do Mauro Galvão na hora, o nosso Capitão da Conquista da América, eterno ídolo vascaíno, poderia ser essa pessoa, com o apoio do próprio Brunoro... nada mal...
    .
    Sobre a torcida, não tenho dúvida que ela irá apoiar o Vasco em qualquer situação, converso com mtos vascaínos, e a vontade de ajudar e incentivar o Vasco me impressiona...
    Em janeiro será lançado o nosso Sócio-Torcedor nos moldes de Internacional e Grêmio... a adesão terá sucesso absoluto, tenho certeza...
    .
    2009 : A RECONSTRUÇÃO VASCAÍNA.
    2010 : A CONQUISTA DO MUNDO.
    --- QUEM VIVER VERÁ ---

     
  • At 4:56 PM, Blogger Emerson said…

    Valeu, Danilo. Torço pelo Roberto.

    Sou totalmente a favor do acesso e descenso, inclusive dos grandes clubes.
    Isso é saudável, faz bem para o futebol, inclusive para os grandes.

    Mas não sou besta (há controvérsias... hehehe), o futebol vive dos grandes clubes, das grandes histórias, das grandes tradições, das grandes camisas.

    Escrevi recentemente mais de uma vez, que considerava o jogo de São Januário o mais difícil e perigoso na trajetória final do São Paulo. Vou pensar a mesma coisa em 2010, não importam as diferenças eventuais de times.
    É perigoso e ponto.
    O histórico do SP em São Janú é tétrico.
    Portanto, vencer ali é uma grande conquista.

    Esse tipo de coisa é que move o futebol, incendeia paixões, faz com que ele seja o que é.

    Para ter isso, torci pela volta do Flu, Palmeiras, Botafogo, Sport - tenebroso... -, Vitória, Grêmio, Galo e Corinthians.

    E torcerei pelo retorno do Vasco.

    Nem que seja só pra sentir o frio na barriga que dá jogar em São Januário.


    :o)

     
  • At 6:04 PM, Anonymous Danilo-ES said…

    Vlw Emerson...
    .
    E como você disse no Post, o Brunoro não vem mesmo pro Vasco, acabei de ler...
    .
    Brunoro nega convite do Vasco

    José Carlos Brunoro, especialista em marketing esportivo e diretor de futebol do Sendas Futebol Clube, da Segunda Divisão do Rio, negou há pouco convite para participar da administração do Vasco em 2009.

    - Quando essa nova diretoria assumiu, me pediu um projeto de reestruturação do futebol. Eu apresentei. Depois de 30 dias, eles pediram mais detalhes sobre o projeto. Apresentei também. Dali em diante, nunca mais nos falamos. Não fui convidado para nada. E dificilmente aceitaria - explicou Brunoro, praticamente descartando qualquer negociação.

    Fonte: Blog Jogo Extra - Extra

     
  • At 11:27 AM, Anonymous Luciano, o B said…

    Emerson,
    Sou um colega são paulino que sempre te lê no Lédio e acabei entrando por aqui.

    Muito interessante essa sua percepção. Ser o melhor destacado entre os piores é mais vantajoso comercialmente que ser um dos medíocres (posição corrente do Vasco nos últimos campeonatos) entre os melhores. Claro que isso só vale para clubes de massa, mas é algo a ser levado em conta.
    Faz pensar...

     
  • At 8:57 AM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, seu leitor bissexto, permita-me a crítica construtiva: és muito brando nesta restrição à condição de Estatal da Eletrobrás. Este patrocínio/doação de $ público é um escárnio a todos nós, contribuintes e formadores de uma das maiores cargas tributárias do planeta. É uma vergonha que não tem qualquer amparo mercadológico, posto que - como bem dizes - a Eletrobrás não tem que disputar consumidor com ninguém! Se é pra torrar R$ 14 mi/ano que Seo Lula e o ministro famoso-quem destinem este $ à reconstrução de Sta. Catarina. Tenho dito.

    Clube de futebol - e olha que sou apaixonado pelo esporte - tem que se sustentar pelas próprias pernas. Senão vira este absurdo que aqui temos de um monte de times falidos. Torraram anos a fio um dinheirão e, por falta de coragem do maior credor, o Governo Federal, ainda ficam ganhando patrocínio/doação. Chega! Precisamos de escolas e hospitais!

    ANTONIO CARLOS
    SANTOS/SP

     
  • At 10:13 PM, Blogger Brasil Empreende said…

    Ola visitei seu blog e gostei muito e gostaria de convidar para acessar o meu também e conferir a postagem desta semana: Brasil, Um celeiro do Futebol-Mundial!
    E participar, também, da corrente Cadê o Amauri por novos jogadores na seleção brasileira.
    Sua visita será um grande prazer para nós.
    Acesse: www.brasilempreende.blogspot.com
    Atenciosamente,
    Sebastião Santos.

     
  • At 2:54 PM, Blogger Pastor Helder Jardim said…

    Tecnicamente esse é o fato...Futebol de botões(chamo assim)estou em patamares distantes por conhecer a verdade absuluta de Deus ..E acho isso uma curtição milionária onde rios de dinheiro passeiam de um lado pro outro..Mas e a verdade? onde ela está.. nisso?..há vidas e suas famílias
    podem estar envolvidas pela mentira ...Mas quando cai um avião..ou alguem sofre com uma internação imediata e a VERDADE aparece!..Pense nisso!..

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home