Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Previ$ões 2008

Corinthians

Ainda na noite do domingo em que o time foi rebaixado, esse Olhar Crônico Esportivo previu – Vantagem Estratégica? – que o clube, no aspecto financeiro, teria um bom 2008, devido à manutenção de suas receitas, talvez até com um crescimento e, claro, devido às menores despesas provocadas pela disputa da Série B. Duas semanas depois daquele post, é com prazer que transcrevo parte de matéria da Folha de S.Paulo de hoje, com dados da previsão orçamentária de 2008 do clube, enviada a seus conselheiros.

Corinthians calcula R$ 7 milhões de superávit em 2008

Previsão orçamentária, enviada a conselheiros, projeta receitas de R$ 90 milhões e despesas de R$ 83 milhões

Discussão sobre finanças põe fim a curta trégua entre situação, que clama por união, e oposição, que pede transparência nos números

EDUARDO ARRUDA
PAULO GALDIERI
DA REPORTAGEM LOCAL

O Corinthians de 2008, mesmo na Série B do Brasileiro, terá mais fôlego financeiro que o deste ano e prevê superávit de R$ 7 milhões. Essa é a projeção da diretoria, que enviou ao Cori (Conselho de Orientação) na última sexta a previsão orçamentária para o próximo ano.
No documento, a estimativa de receitas beira a casa dos R$ 90 milhões, e as despesas não devem ultrapassar R$ 83 milhões. Os números, quando confrontados com o balanço de 2006, por exemplo, mostram que o clube projeta elevar seus rendimentos em até 50% e diminuir os gastos em 24%.
Para alcançar essa meta, que ainda pode ser alterada, o Corinthians se apóia em projetos de marketing para auferir receitas e na reestruturação administrativa para frear a sangria que provocou a dívida de R$ 95,7 milhões.
Somente com os direitos de transmissão de TV, o clube diz que receberá, no ano que vem, R$ 24 milhões. Em 2007, o ganho foi de R$ 21,7 milhões.
O clube alvinegro também já cortou gastos em praticamente todas as áreas. Só no departamento jurídico, as despesas tiveram redução de R$ 125 mil para R$ 20 mil mensais.
Na última sexta, os corintianos, além de firmarem acordo para pagar 6 milhões ao Lyon, acertaram dívida com o técnico argentino Daniel Passarella e seu auxiliar, demitidos em 2005. O clube vai pagar cerca de R$ 3 milhões em 18 vezes.

Como esse blog antecipou a seus leitores, a dívida de 96 milhões de reais a valores de outubro/2007, embora grande, tem um perfil que permite negociação e pagamento com prazos mais longos, o que já está sendo posto em prática pela nova administração. Como de hábito, a cobertura deixa um pouco a desejar. Em 2007 o Corinthians recebeu, sim, 21,7 milhões de reais, mas referente apenas ao Campeonato Brasileiro e como valor bruto. O líquido foi de R$ 18.637.500,00 tal como pode ser visto no post já citado de 2/12 – “Vantagem Estratégica?” e nos de 9 e 19 de outubro, específicos sobre esse tema, a verba da TV do Campeonato Brasileiro.


São Paulo

Bem diferente, naturalmente, é a situação prevista para o São Paulo no aspecto financeiro. Com a venda de Breno, e seu pagamento à vista, o clube fecha 2007 com o espantoso valor de 40 milhões de dólares, equivalentes a 71 milhões de reais de receita bruta. Desse total, devem ser descontados alguns valores referentes a participações dos próprios atletas e empresários, mas ainda assim é um número muito alto. Independentemente dele, porém, o clube deve fechar o balanço do ano com crescimento de receita um pouco acima do valor obtido em 2006, ou no mesmo patamar, apesar da eliminação precoce na Libertadores de América. Isso foi possível graças ao crescimento nas operações de licensing de produtos Tricolores, tanto pela Reebok como já pela Warner, além de ganhos nos valores de direitos de TV e publicidade.

Ano


Receita Total


Transferências

TV/MKT/BIL/OUT

2005


112.983


26.152

86.831

2006


122.302


21.789

100.513

2007


172.800


70.800

102.000

(*) Valores de 2007 estimados pelo Olhar Crônico Esportivo

As receitas do São Paulo em 2007 equivalerão, pela estimativa desse blog, a cerca de 69 milhões de euros, dos quais praticamente 41 milhões de euros referentes a receitas da atividade sem transferências de jogadores. Mesmo assim, esse valor ainda deixaria o clube tricolor dezesseis milhões de euros longe de poder figurar na rabeira dos 20 clubes mais ricos do mundo, de acordo com o levantamento Deloitte Football Money League. Segundo o mesmo, o 19º da lista, o West Ham, faturou 87 milhões de euros na temporada 2005/2006, ficando o português Benfica em 20º lugar com 85 milhões de euros. A respeito, e a lista dos 20 mais, foi postada aqui em 8/2/2007, para quem quiser dar uma outra olhada ou ver pela primeira vez.

O pior: o levantamento Deloitte não considera os valores obtidos com transferências de jogadores. Portanto, os bonitos 69 milhões transformam-se em modestos, pelos padrões europeus, 41 milhões de euros. Muito pouco, sem dúvida. Por outro lado, justificando a primeira comparação, o São Paulo, assim como o Cruzeiro e outros clubes, tem na transferência de jogadores uma fonte regular de receita, ao contrário de clubes europeus, onde a uma transferência segue-se uma contratação de igual peso e valor, geralmente. No caso do São Paulo, essa receita é ainda mais verdadeira por tratar-se, em sua maior parte, de jogadores formados na base, ou que chegaram já em sua fase final de preparo para se tornarem profissionais (Ilsinho, por exemplo).

Dependendo do desempenho do time na Copa Santander Libertadores, o ano de 2008 poderá ser brilhante em termos de receitas, uma vez que o patrocínio da Reebok dobrou de valor, e a receita vinda da televisão terá significativo crescimento trazido pelo novo contrato de venda de direitos de transmissão do Campeonato Paulista (até hoje a Federação Paulista de Futebol não informou esse blog sobre os valores a que cada clube terá direito), seguida por aumento na verba do Brasileiro graças ao crescimento das vendas do pay-per-view.


Palmeiras e Santos

O Palmeiras começará o ano com novo patrocinador, ainda não confirmado oficialmente, a Fiat, que pagará dez milhões de reais por ano pelo direito de estampar sua marca na camisa alviverde. Ao mesmo tempo, a Adidas propôs um novo acordo de patrocínio, com validade até 2011, antecipando em um ano a renovação do atual contrato que vencerá em dezembro de 2008. O clube recusou a oferta. Comenta-se que a direção da Adidas não gostou dessa postura, mesmo porque anteciparam pagamentos durante 2007 para ajudar o clube em momentos difíceis e esperavam uma contrapartida. Fontes palmeirenses dizem que a recusa foi motivada pela entrada de J. Havilla e outros empresários, como Delcir Sonda no clube, injetando dinheiro no futebol. Esse filme é velho e de final, na melhor das hipóteses, incerto. Crescimento real, verdadeiro, sustentável, dá-se apenas com recursos próprios.


O Santos já renovou seu patrocínio com a Semp Toshiba por mais dois anos, indo até dezembro de 2009. O valor é o mesmo que a Fiat pagará ao Palmeiras: dez milhões de reais por ano. Espera-se um ano mais equilibrado no aspecto financeiro com a saída de Vanderlei Luxemburgo. No mínimo uma parte de sua equipe deverá deixar a Vila, também, e mesmo com a chegada de profissionais caros, como Emerson Leão e alguns assistentes, as despesas do futebol serão menores, dando mais fôlego à administração.



De maneira geral, os 4 grandes paulistas terão um bom crescimento em suas verbas de TV graças aos novos valores do Campeonato Paulista. Em 2008 terminará o contrato do Clube dos 13 com a Globo, referente aos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro. Nesse último ano de vigência do atual contrato, os valores recebidos pelos clubes serão um pouco maiores em função do aumento nas vendas dos pacotes de ppv, como foi dito acima. A grande mudança, porém, está prevista para 2009, com um novo contrato entrando em vigor. A entrada em cena da Rede Record deverá, no mínimo, levar a um aumento significativo nos valores, tal como ocorreu no Campeonato Paulista, onde o valor total pago passou de 36 para 60 milhões de reais (tão logo a Federação informe as cotas, esse valor será atualizado). Esse blog acredita que o novo valor do BR ficará em pelo menos 500 milhões de reais em 2009.

As negociações já começaram e o Clube dos 13 vive dias de certa turbulência.


.

Marcadores: , , , , ,

5 Comments:

  • At 6:13 PM, Blogger Bruno said…

    Emerson, excelente esse tópico que vc fez detalhando as fontes de receita dos grandes clubes de SP. Acho que agora, com esse novo patamar financeiro de patrocínio que a Reebok impôs, ao assinar o novo contrato com o SPFC, irá mostrar mais ou menos como deverão ser as próximas conversas do clube com a LG quando tratarem da renovação do contrato atual. Com isso, ganham também os outros clubes, que com certeza vão endurecer as conversas com seus patrocinadores também. Tudo caminha, mesmo que a passos lentos (e curtos), para uma melhora sensível no poder econômico dos clubes brasileiros. Por falar nisso, li em algum lugar que na verdade o valor pago pela LG ao SPFC é um pouco maior que o divulgado aos meios de comunicação, girando por volta de R$ 20 milhões, um pouco acima dos R$ 15,5 que normalmente se diz. Qual é o valor exato, vc sabe? E sobre o projeto de reestruturação do Morumbi, vc tem notícias de quando (ou se) vão começar, qual o valor orçado para a obra, quem seriam os parceiros, etc?

    Abraço e parabéns pelo blog!

     
  • At 6:13 PM, Blogger Bruno said…

    Por falar nisso, quando termina o contrato com a LG?

     
  • At 6:37 PM, Blogger Emerson said…

    Obrigado, Bruno.

    O contrato com a LG vai até dezembro de 2008 e a empresa terá, novamente, direito de preferência na renovação desde que iguale ou cubra eventual proposta de terceiros.

    O valor anual desse contrato é na casa de 16 milhões. Desconheço esse valor de 20, que você citou, mas nada impede que haja um bônus pela conquista do título brasileiro.

    Outro dia mesmo, o Rogério com a camisa do São Paulo na mão, no Faustão, e cenas dele jogando, representaram, por baixo (estou enferrujado para esses cálculos), algo como 1 milhão de reais em valor caso fosse paga a veiculação.

    Esse é um ponto importante para os patrocinadores, jogadores como o Rogério e o Kaká. São sérios, "limpos", têm imagem extremamente positiva e profissional.

    O contrato Reebok já estabeleceu novas bases para todo o mercado. Ainda hoje circulou no mercado informação dando conta que Andrés Sanches iria romper o contrato com a Samsung, que pretende usar a cláusula de redução no valor do patrocínio em função do rebaixamento. Se isso ocorrer, Sanches conseguirá outro patrocinador por valor maior e rapidamente. O mercado fervilha, futebol é cada vez mais um grande negócio de entretenimento de massa.

    Quanto ao Morumbi, pelo que sei algumas obras pequenas já foram feitas, como adequação de tribuna e outras, mas as maiores só sairão do papel para a vida real a partir de 2010, não antes.

     
  • At 6:40 PM, Blogger Emerson said…

    Ops, na verdade é oficial: Samsung e Corinthians não são mais parceiros.
    O clube rompeu o contrato ao não aceitar a redução no valor prevista no mesmo.

    Bom, se eu fosse dirigente da Samsung faria exatamente o oposto. Mas há, também, um histórico conturbado na relação da empresa com a nova direção do clube.

    Comenta-se, já há algum tempo, que a Samsung tentará tomar o lugar da LG no São Paulo. Não acho provável, mas não acho impossível.

     
  • At 7:49 PM, Anonymous jacare_argentino said…

    Este humilde reptil agradece por nenhuma palavra sobre a final de domingo ter sido falda aqui no seu blog, hermano Emerson...
    .
    Mas alias todos os seus posts sao interessantissimos, informaçoes valiosas mesmo pra um jornalista em formação, continue com o bom trabalho em 2008...
    .
    Abraços

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home