Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

domingo, setembro 17, 2006

Muita água vai rolar...

... sob a ponte TimeMania nos próximos 60 dias. Nem é improvável que esse prazo seja esticado para regulamentar a nova loteria.

Acredito que os maiores imbróglios terão como foco a divisão do bolo arrecadado, de um lado, e as contrapartidas que o governo vai querer do outro lado.

A divisão do bolo tem um problema mais sério: na série C a entrada e saída de times é grande, não há muita estabilidade, o que complica num programa de pagamento de dívidas. Se esse é um problema sério para os administradores do programa, a divisão do bolo é ainda pior nas três séries. Os clubes de massa farão pressão por maiores fatias, farão pressão por maior fatia para o “clube do coração” e irão espernear bastante caso não sejam atendidos. Uma corrente prega a mesma divisão que já existe para a verba da televisão, o que é razoável, sob um ponto de vista, mas não muito por outro. Na tevê, a divisão foi ditada pelas pesquisas sobre os tamanhos das torcidas e índices de audiência. Uma loteria, porém, extrapola esse universo, em tese. Possivelmente, uma divisão mais justa do bolo só será possível depois de um ano, ou até dois, de funcionamento da TimeMania.

O governo vai exigir que o dinheiro recebido pelos clubes, uma vez livres das dívidas, seja destinado a usos específicos, que tenham o chamado caráter de “cunho social”. Isso, na prática, não diz muita coisa, mas é bom em termos oficiais, aparece bem nos documentos e na propaganda. Os clubes vão chiar a esse respeito desde já. As brigas prometem.

E vai resolver?

Sinceramente? Não acredito. Já acreditei que sim, até muito recentemente, por sinal, que a chegada da TimeMania seria um divisor de águas para os clubes necessitados. Hoje, contudo, com as novas informações divulgadas recentemente, começo a acreditar que a TimeMania, provavelmente, será apenas uma fonte extra de recursos para os clubes em ordem, melhor administrados e, os principais alvos de sua criação, os grandes devedores, não conseguirão aproveita-la.

Flamengo, Fluminense, Botafogo, Portuguesa e Atlético Mineiro eram os principais alvos da criação da loteria. Considerando o tamanho e peso da Lusa e do Galo, sempre foi claro que o grande alvo da TimeMania era criar condições que permitissem a sobrevivência dos três clubes do Rio de Janeiro, que, juntos, acumulam uma dívida superior a 600 milhões de reais apenas com os órgãos públicos: Receita, FGTS e INSS. Nos últimos dois anos, toda a sinalização emitida por esses clubes dava a entender que eles, agora, estavam em ordem, pagando os impostos novos religiosamente. Descobriu-se que não. O Fluminense não paga imposto algum há muitos anos, e o Flamengo também não vem pagando seus impostos, motivo que impediu o clube de receber o sonhado dinheiro do patrocínio da Petrobrás. Ao que tudo indica, a situação é a mesma no Botafogo. Essas informações foram a famosa ducha de água gelada, pior que a fria, extremamente desanimadoras, para todos que acreditavam no sucesso da TimeMania não como loteria, mas como um instrumento que permitiria a reestruturação desses clubes.

A TimeMania não é a chave mágica que vai abrir a porta do tesouro para os desesperados. Trata-se apenas de um programa, suportado pelo povo através dos apostadores, que se destina a arrecadar dinheiro para o governo, tanto velho e atrasado como o novo, e que vai, sim, permitir aos clubes acertarem suas situações fiscais. Porém, elas já deveriam estar em ordem hoje. Ou seja, esses clubes já deveriam estar enquadrados aos ditames da lei, pelo menos pagando em dia os impostos correntes.

O que a gente vê é que esses três clubes (a Lusa é caso perdido e do Galo não tenho informações) passam por dificuldades de porte hoje, e não estão recolhendo os impostos, como sempre. É a mesma coisa que aconteceu com milhares de empresas que entraram no REFIS, mas não conseguiram faturar o bastante para continuar operando e, ao mesmo tempo, pagar os impostos correntes. Como resultado, foram excluídas do programa de recuperação fiscal e seus débitos voltaram para a dívida ativa da União, entrando em fase de execução.

Infelizmente, diante de tudo isso, a conclusão é uma só: a TimeMania não irá ajudar esses clubes, que até hoje não se ajudaram de fato, se reestruturando e equilibrando suas contas.

E, depois disso, qual será o próximo passo para salvar esses clubes?

Ou conseguirão mais uma forma de continuarem ativos, às custas do conjunto de pagadores de impostos?

O tempo dirá. Um tempo curto.

.

Marcadores:

2 Comments:

  • At 12:10 PM, Anonymous Maurício Gomes Colorado said…

    Emerson!!!!!
    to te perguntando sobre o que voce acha sobre os jogadores do são paulo,porque preciso fazer uma descrição sobre cada jogador do grupo do são paulo!!!!!!
    se voce puder me ajudar te agradeço!!!!!
    acho que voce é a pessoa que mais pode me ajudar nesta tarefa,pois voce acompanha de perto o clube!!!!
    um abração e responde se voce vai me ajudar no seu próprio blog!!!!
    fui

     
  • At 1:26 PM, Blogger Emerson said…

    Maurício, detalha melhor o que você quer:
    emergon@terra.com.br

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home