Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

sexta-feira, abril 25, 2008

Caminhos para o título

A Copa Santander Libertadores entra na sua 3ª e última fase, a das eliminatórias, ou, popularmente, a fase do mata-mata. São dezesseis clubes, dos quais cinco são brasileiros, cinco são argentinos, dois colombianos, um equatoriano, um uruguaio e dois mexicanos. Seria ainda mais interessante se pelo menos um time do Chile e um do Paraguai tivessem entrado, preferencialmente em lugar de um brasileiro e um argentino. Dessa forma, a geografia e a realidade do futebol latino-americano estariam ainda melhor representadas. Nesse ponto, penso como a CONMEBOL: maior diversidade, maior representatividade, maior atração para o público das três Américas e também de todo o mundo. Isso, é claro, respeitando os méritos esportivos dos participantes.

São dois os caminhos possíveis para chegar ao título: um, sai da esquerda do quadro abaixo, e o outro sai da direita, ambos convergindo para o centro. Aliás, tal como acaba ocorrendo na vida das pessoas e das sociedades, pelo menos daquelas, na minha opinião, com mais visão e sensatez.





Aqui é importante esclarecer que, uma vez mais, surge a possibilidade de uma nova final entre clubes brasileiros, pois os cinco classificados estão em chaves opostas, sem confronto direto inicial, e de tal forma que três poderão chegar à semifinal. O mesmo não ocorre entre os cinco argentinos, pois River Plate e San Lorenzo se enfrentam nas oitavas-de-final. O vencedor desse duelo enfrenta o vencedor de Estudiantes e LDU. Supondo que seja o time argentino, teríamos, assim, um argentino na semi-final do lado direito da chave. Pelo lado esquerdo, Boca e Lanús podem chegar às quartas-de-final, passando um deles para a semifinal pelo lado esquerdo. Nesse caso, teríamos, provavelmente, um confronto entre Boca e um time brasileiro – Fluminense ou São Paulo. Isso, porém, não acontecerá, pois o regulamento da Copa Santander Libertadores determina que clubes do mesmo país se enfrentem na semifinal, de forma a tentar garantir uma final entre times de países diferentes. A final brasileira, entretanto, poderá acontecer caso cheguem à semifinal o Cruzeiro e Fluminense ou São Paulo. No outro lado da chave, Flamengo ou Santos enfrentariam um dos times argentinos ou a LDU.

Da forma como ficaram colocados os times, esse ano é possível uma final Brasil x Argentina. Nesse caso, na visão desse Olhar Crônico Esportivo, o menos improvável seria entre Boca e São Paulo ou Fluminense.

Quanto às análises e chances de cada time, os jornais e sites estão recheados de ótimas matérias, melhores do que poderia fazer esse blogueiro. Em relação ao que está por vir, um pequeno lembrete: o fato de times como o América mexicano e o colombiano, por exemplo, estarem se arrastando pelas rabeiras de seus campeonatos nacionais é irrelevante. A importância da Libertadores fora do Brasil é ainda maior que aqui, onde as equipes dividem sua atenção entre um campeonato estadual e a competição máxima do continente. Para um colombiano, por exemplo, tal coisa é impensável. Todos eles sabem que não há título maior que o de campeão da Libertadores, exceto o de campeão Mundial. O Flamengo e o Cruzeiro estarão divididos entre seus estaduais e a Libertadores. Ambos disputarão os títulos em dois clássicos locais de alta rivalidade e octanagem. A menos que estejamos diante de dois times excepcionais, prontos a fazer História em grande estilo, essa disputa será péssima para ambos.

Alea jacta est.

Boa sorte a todos.


.

Marcadores:

6 Comments:

  • At 8:55 AM, Blogger Leonardo "Funny" said…

    Olá meu caro Emérson!
    Tava com saudades de um post!
    Respeitando possíveis problemas particulares, vê se não some!
    Abraço, Leonardo.

     
  • At 10:17 AM, Blogger Rod Molina said…

    No caso do Flamengo, Emerson, acho que seria de grande valia se aproveitar os problemas de escalação que o Botafogo tem para o primeiro jogo e conseguir o resultado mais expressivo possível. Mas não é fácil. O Cuca é um técnico criativo, como se pôde observar contra o Fluminense na semi-final. O Bota teve problemas durante o jogo, mas o Cuca tem cartas na manga. Seu time está muito longe de ser careta e previsível como o esquema tático do Flu...O time do Cuca tem variações táticas... Um grande resultado no 1° jogo contra o Botafogo, pode criar uma margem de segurança para a segunda partida, em que o Flamengo entrará em campo desgastado pela viagem ao México.

    E para a Libertadores, o Flamengo ainda terá o problema da mudança de treinador, algo que na minha concepção-como diz o Romário hehehe-, pode atrapalhar o andamento do time na competição.

     
  • At 10:30 AM, Blogger Emerson said…

    De fato, Leonardo, fiz um pit stop muito longo. Quebrou a bomba de combustível e ainda por cima pegou fogo no carro.

    :o)

    Rod, por essa e por outras, eu não dou importância ao campeonato "da rua". Um simples clássico, como foi Palmeiras x São Paulo, torna-se mais importante que a competição em si.

    O certo, na minha opinião, seria o Flamengo esquecer o Carioca e concentrar-se totalmente nos jogos contra o America.

    Mas...

     
  • At 12:04 PM, Blogger agepe said…

    Grande Emerson...tb estava com saudades dos posts...
    Penso igual a você quanto a questão de priorizar uma competição. Evidentemente, seria a Libertadores.
    Um abraço
    Ailton Gomes

     
  • At 6:16 PM, Blogger Lucas Dantas Loureiro said…

    Émerson, tudo bem?

    Você teria essa imagem num tamanho maior, definição melhor, ou poderia apontar o caminho para encontrá-la?

    [s]

     
  • At 8:03 PM, Blogger Emerson said…

    Lucas, se não me engano, copiei essa imagem do Estadão Digital.
    Copiei-a pelo Print Screen (único modo que encontrei para fazer isso), salvei como página da Web e passei-a pelo recorte do Picasa. Já no blog, ampliei um pouco, pois era muito pequena.

    Se você quiser, posso enviar a página web para você.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home