Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

A dura realidade da Timemania



Ok, vamos à realidade dos fatos e dos números. Para isso, nada melhor que começar com uma historinha tirada da imaginação.

Imagine, então, prezada leitora, prezado leitor, que você deve 100.000.000 – muito zero, né? – de reais para a Receita. Como você chegou a dever esses cem milhões eu não sei; dependendo do que você faça até posso imaginar, mas não vem ao caso no momento, pois agora importa somente esse fato: você deve cem milhões para a Receita. Bom cidadão, você vai até lá, negocia um bom acordo e ouve do burocrata:

- Cidadão, para facilitar tua vida e tua sobrevivência, dando-te condições de continuar atuando em tua atividade, cortamos 50% do valor das multas incorporadas à sua dívida e vamos dividir tudo em 240 pagamentos mensais e consecutivos (besteira isso, mas sempre quis escrever “mensais e consecutivos”, como se um pobre devedor não soubesse desse detalhe).

- Puxa, que legal!

- Melhor ainda: limpamos teu nome e você pode voltar ao mercado financeiro e pode candidatar-se a receber verbas públicas.

- Uau, que maravilha!

- Bom, estimado cidadão, sobre seu saldo devedor vamos aplicar a taxa SELIC.

- ...

- Você sabe, não é, cidadão? Dívida é dívida e tem que correr algum jurinho, né?

- É... Mas, puxa, logo a SELIC?

- É a nossa taxa oficial.

- Mas vocês têm a TJLP, que é praticamente a metade dessa e que se aplica melhor ao meu caso que é de longo, longuíssimo prazo, não é?

- Olhe, cidadão, em tese até concordo contigo, mas na prática será a SELIC. Sabe como é, os “homi” lá em cima assim decidiram.

- Puxa... Mas a SELIC... É o dobro... Puxa, é dureza...

- Pois é cidadão, mas ninguém falou que seria fácil, né?

E assim, desacorçoado, como dizia e diz ainda minha família e o povo do interior, ou desacoroçoado, como querem os dicionários, lá sai da Receita nosso cidadão que deve cem milhões de reais.

Sai fazendo contas. Vamos a elas:

- Dívida: 100.000.000

- Parcelas: 240 x 416.700

- Taxa de juros sobre saldo devedor: 11,25% (índice estimado para 2008)

- Valor pago no primeiro ano: 12 x 416.700 = 5.000.000

- Saldo devedor ao final do primeiro ano: 95.000.000 – sem os juros da dívida

- Saldo devedor estimado com aplicação de 11% sobre o valor médio da dívida:

108.000.000 – Cento e oito milhões de reais

- Resumo da ópera: entrou devendo cem, pagou cinco, terminou o ano devendo cento e oito.

(Não fiz as contas mês a mês, e mais juros compostos e o escambau, apenas apliquei a taxa anual sobre o valor médio entre o primeiro e o décimo-segundo pagamento; a conta certa, final, é próxima disso, mas nem vem ao caso, pois tudo isso é apenas para definir a ordem de grandeza da brincadeira.)

No segundo ano, o valor das parcelas subirá para 450.000 reais por mês. No final de mais doze meses, 5.500.000 terão sido pagos, abatendo o valor da dívida, sem os juros do ano em curso, de 108.000.000 para 102.500.000. Todavia, aplicando-se a SELIC estimada pelo mercado para 2009 – 10,25% – sobre o valor médio da dívida em seu segundo ano, teremos a bagatela final de 116.000.000 como valor da dívida no décimo-segundo mês do segundo ano.

Ao entrar em seu terceiro ano, as parcelas agora são de arredondados 500.000 por mês, ou seja, 6.000.000 pagos em doze meses, reduzindo a dívida de 116 para 110 milhões de reais. Aplicando-se a esse valor a SELIC de 2010 – ainda não prevista, mas vamos supô-la, conservadoramente, nos mesmos 10% previstos para 2009 – e teremos a dívida em 124 milhões de reais no final do terceiro ano e início do quarto ano.

E por aí vai.

Vejam como é esse negócio: você entra devendo cem, paga dezessete e ainda está devendo cento e vinte e quatro 36 meses depois. Bom, né?



A ajuda da Timemania

De acordo com a estimativa da Caixa Econômica Federal, a Timemania vai arrecadar 520 milhões de reais em seu primeiro ano. Como vários órgãos de imprensa já divulgaram essas contas, e dando-se esse valor como certo, cada time do Grupo I vai receber 300.000 reais por mês da loteria. Ou melhor, vai abater esse valor da parcela mensal que tem que pagar, pois todo dinheiro arrecadado será destinado ao pagamento dos débitos.

Voltando ao nosso hipotético cidadão, que nada mais é que um igualmente hipotético clube de futebol, devendo 100 milhões de reais, ele terá a primeira parcela de 240 parcelas a pagar no valor de 400.000 reais. O valor arrecadado e distribuído pela Timemania vai abater 300.000 desse total, deixando, assim, 100.000 reais para o clube pagar com recursos próprios. Todo mês, naturalmente.

Uma das poucas bondades do projeto Timemania é permitir aos clubes pagarem apenas 50.000 reais como complemento da parcela mensal, durante todo o ano de 2008. Ou seja, se o clube tem que pagar 420.000, pagará 300 + 50 e só. A diferença ficará acumulada, correndo juros, naturalmente, que de boba a Receita nada tem.

A conta com base em cem milhões é boa porque permite aferir rapidamente quanto cada clube terá que pagar mês a mês. Para os clubes que vão receber mais do que têm a pagar por mês, o saldo credor não irá para a conta-corrente no banco, mas será usado para abater débitos futuros, do final para o começo.


A tabela a seguir mostra a dívida em milhões de reais dos maiores devedores (valores não oficiais) e as duas parcelas - a mensal e a complementar - em milhares de reais. No caso de haver o sinal +, significa que o valor será incorporado como adiantamento de parcelas futuras. Ou seja, um clube só receberá dinheiro líquido, mesmo, quando não tiver nenhum débito com a Receita.


Flamengo


180,0


750.000

450.000

Botafogo


160,0


667.000

367.000

Fluminense


155,0


646.000

346.000

Portuguesa


145,0


604.000

304.000

Atlético-MG


112,0


467.000

167.000

Grêmio


80,0


333.000

133.000

Vasco


70,0


292.000

+ 8.000

Santos


62,0


258.000

+ 42.000

São Paulo


43,2


180.000

+ 120.000

Cruzeiro


32,0


133.000

+ 167.000

Corinthians


30,0


125.000

+ 175.000

Bahia


30,0


125.000

+ 175.000

Palmeiras


27,0


112.000

+ 188.000

Coritiba


20,0


83.000

+ 217.000

Figueirense


6,0


25.000

+ 275.000


Se a loteria permanecer estacionada nessa faixa de arrecadação, ano a ano o nosso hipotético devedor de cem milhões desembolsará mais e mais recursos próprios para abater, teoricamente, uma dívida que, na prática, crescerá ano a ano. Se a loteria cair no gosto do povo e crescer ano a ano, no mínimo a uma taxa de dez por cento, número ao redor do qual gira a SELIC, os clubes continuarão tirando do bolso o mesmo valor proporcional. Se a loteria crescer muito mais, aí sim, nesse caso o nosso centenário devedor conseguirá amortizar de fato a dívida com a Receita. Para isso, entretanto, a arrecadação da loteria teria de crescer acima de 20% ao ano, pelo menos, para uma redução significativa.

Portanto, na melhor das hipóteses, os clubes que conseguirem manter-se na linha apenas manterão seu status atual. Se aproveitarem para profissionalizar-se e crescer, ganhando novas receitas, poderão reverter o rumo da própria história.

Esses valores não são oficiais e eu mesmo tenho dúvidas sobre alguns deles. No caso do Flamengo, por exemplo, em outubro ou novembro de 2007 o presidente Márcio Braga declarou que a dívida do clube com órgãos do governo federal atingia o montante de 207 milhões de reais. Aparentemente, esse número de 180 milhões está expurgado desse valor de 27 milhões que o Flamengo considera sub judice e, caso vença na justiça, poderá retirá-los do valor devido. Isso se, no momento que for a julgamento, a Justiça entender que o clube está certo. Praticamente todos os clubes têm processos na mesma situação, como o São Paulo, que tem 30 dos 43 milhões declarados com processos em andamento na justiça.



E agora?

Sem dúvida, a situação é muito delicada para os cinco maiores devedores, cujas dívidas giram entre 180 (ou 207) e 112 milhões de reais. Para esses clubes, e para todos os outros, o grande desafio não é tanto complementar o valor a ser pago no acordo feito com o governo – dependendo da performance da Timemania no mercado – e sim manter em dia suas contas correntes. Ou seja, terão de, obrigatoriamente, passar a andar na linha. Terão de pagar, mês a mês, religiosamente, todas as contribuições de IR, INSS, FGTS, PIS e PASEP.

Nesse momento, com certeza, o torcedor se pergunta: Mas se até agora o meu time não pagou nada disso, vai começar a pagar religiosamente justo agora? E ainda por cima com o complemento da prestação junto? E surge ou aumenta a desconfiança, como é natural.

Se a Timemania não se tornar um grande sucesso de público, e se esses clubes não alavancarem ao máximo suas receitas, em três, quatro ou cinco anos teremos tudo de volta à estaca zero: clubes endividados monstruosamente, dívidas impagáveis.

Aí caberá à sociedade julgar o que é mais interessante: uma nova anistia, pois, ao fim e ao cabo, é isso que é a Timemania, ou o cumprimento das leis em vigor, com arresto de bens e outras medidas de igual teor. Isso implicará em mexer com o amor, o sonho, a paixão de dezenas de milhões de torcedores/eleitores. Portanto, não sei... Só esperando para ver.

Essa bola está nas mãos dos dirigentes dos clubes. E dos torcedores, também.

Caberá às torcidas um papel fundamental de cobrança e paciência nesses anos vindouros. Se não cobrarem transparência, honestidade e competência no trato das coisas do clube, continuará tudo no mesmo pântano lamacento. Se não tiverem paciência para suportar anos difíceis, poderão levar dirigentes a cometer loucuras e fazer tudo retornar ao lamaçal. Transparência será fundamental, acompanhada de diálogo franco e aberto com os torcedores.

Quem ama, perdoa.

Quem ama, compreende.

Quem ama, entretanto, não suporta mentira, odeia enganação.

Por isso, mais importante que o centroavante e o goleiro daqui pra frente, será o presidente do clube.

.

Marcadores:

11 Comments:

  • At 2:04 PM, Blogger Huayna T said…

    Realmente, nada fácil de entender,também não entendi a tabela que foi postada.

     
  • At 2:31 PM, Blogger Emerson said…

    Acho que você leu o texto rascunho.
    Tente novamente, por favor.

    Se não ficou claro, desculpe a amolação, mas gostaria de um feed back para poder corrigir ou reescrever.

     
  • At 2:42 PM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, excelente texto.
    Você me perimte usa-lo em um site de torcedores do Flu? Lógicamente dando o seu nome de que site veio.

    Obrigado João Luiz(JLH)

     
  • At 2:56 PM, Blogger Doug said…

    Já tinha lido uma matéria no GE.com sobre isso! O Flamengo ano q vem, vai ter q complementar algo em torno de 10 milhoes. Isso é mais da metade do patrocínio da Petrobrás. E com a Selic, a dívida ainda assim vai continuar crescendo! Parece a dívida externa brasileira!

     
  • At 3:29 PM, Blogger Emerson said…

    Fique à vontade, João Luiz.

    Você é de casa.

    E boa sorte hoje. O RG vai ter que motivar a rapaziada, já que o conjunto ainda não está no ponto.

     
  • At 3:56 PM, Anonymous Anônimo said…

    Obrigado!

    Quanto ao RG espero que a cabeça dele entre no lugar. Pois caso contrario sinto que começará aquela costumeira pressão.

    João Luiz

     
  • At 4:10 PM, Anonymous helio arcanjo said…

    Se não der certo, cria-se a Timemania II, III, IV...
    .
    Parabéns pelo trabalho, caro Emerson.

     
  • At 7:10 PM, Anonymous Anônimo said…

    Muito interessante tudo isso e meio preocupante. Vc acha que esses clubes que devem muito conseguirão pagar algum dia?

     
  • At 9:07 PM, Blogger Delcides said…

    Emerson,
    Eu fiz as contas para uma taxa de juros de 11% ao ano, constante ao longo dos 20 anos. Para pagar a dívida até o final do prazo, o clube tem que desembolsar 1,03% da dívida por mês. Parece pouco, mas no caso do Flamengo isso significa 2,376 milhões de reais. Ou seja, os 300 mil da Timemania não dão nem pra saída...

     
  • At 12:39 AM, Anonymous Anônimo said…

    Para variar, excelente post! ;-)
    Suas projeções são ótimas para reafirmar que o maior beneficiado da Timemania será a União. Além de receber uma dívida que jamais seria paga pelos clubes, continuará vendo a dívida crescer. Flamengo, Botafogo, Fluminense, Portuguesa, Atlético-MG e Grêmio que se cuidem! Principalmente a Portuguesa, que tem menos peso político... Depois da União, os maiores beneficiados serão os times que tiverem saldo positivo (a partir do Vasco). Isso se a previsão de arrecadar R$ 520 milhões por ano se confirmar...
    Abs, Marcos Silveira

     
  • At 8:34 AM, Blogger Leonardo said…

    Emerson, não parei pra fazer as contas, mas o que é ponto certo: se as parcelas não combrem nem os juros, a dívida aumenta. A parcela paga tem que NECESSARIAMENTE cobrir os juros para assim amortizar o saldo devedor.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home