Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, novembro 01, 2007

Quinto Título, Primeiro Bi-Campeonato!

.

O título brasileiro de 2007 começou a ser definido, de fato, quando o São Paulo superou as derrotas para Atlético Mineiro e Fluminense, ambas no Morumbi, e venceu o Cruzeiro, de virada, em pleno Mineirão. Depois dessa grande vitória, outras sucederam-se: 2x0 sobre o Grêmio no Olímpico, 2x0 sobre o Botafogo no Maracanã, 2x1 sobre o Santos no Morumbi, com uma exibição simplesmente primorosa da equipe e um fantástico 2x0 sobre o Vasco em São Januário, palco de seguidas derrotas, depois de um primeiro tempo assustador. Veio, ainda, importante vitória sobre o Palmeiras, no Parque Antártica. Fechando o ciclo de grandes e fundamentais vitórias, teve o jogo contra o Internacional no Beira-Rio. Todos os concorrentes diretos foram batidos em suas próprias casas, cada um desses jogos foi uma decisão.

Daí em diante o título era mera questão de tempo.

O time relaxou um pouco e três resultados ruins vieram em seqüência: derrotas para o Corinthians e Flamengo, e empate com o Fluminense. Enquanto esses pontos não eram conquistados, o Cruzeiro, concorrente mais direto na oportunidade, perdia pontos igualmente preciosos e nunca se aproximou do São Paulo, o que talvez explique parte do relaxamento tricolor.

O São Paulo foi campeão por seus méritos, isso é inegável, tanto dentro como fora de campo.

O clube soube montar um elenco equilibrado, forte, com jogadores de bom caráter, ponto destacado pelos próprios atletas como muito importante. O elenco começou muito grande e foi diminuindo no decorrer do campeonato. Lenilson, Josué, Edcarlos e Ilsinho foram negociados; Maurinho, Rafinha e Marcel saíram por rescisão ou empréstimo. Reasco quebrou a perna numa entrada dura no jogo contra o Botafogo. Hugo pegou uma grande suspensão – 120 dias. E Borges, na reta final, sofreu uma contusão que o tirou de campo por mais de um mês, voltando nos minutos finais do jogo de hoje.

Zé Luiz também ficou fora na reta final, desfalcando o meio-campo.

De repente não mais que de repente, o grande elenco já não era tão grande.

O cansaço começou a pesar; em todo o campeonato o São Paulo utilizou somente 29 jogadores, alguns deles por poucos minutos. O grosso do trabalho ficou em cima de treze ou quatorze jogadores. Complicou. Nesse momento pesou a qualidade e o cuidado na montagem desse grupo.

E pesou o comando.


Muricy está por trás dessa conquista. Em poucos meses o time perdeu Lugano e Fabão, além de Edcarlos, e teve que remontar totalmente sua defesa, surgindo uma defesa impressionante, que até o momento tomou apenas 13 gols em 34 jogos e com um fator ainda mais impressionante: de seus quatro componentes, um tinha 17 anos até duas semanas atrás; outro tem 21 e o mais regular de todos, Miranda, tem somente 23 anos de idade. O veterano do grupo é André Dias, que para um zagueiro é outro jovem, com 26 ou 27 anos de idade. O meio-campo vencedor, com Mineiro, Danilo e Josué, acabou.

Muricy montou um novo grupo, teve problemas no início, que não foram entendidos por muitos, que deixaram-se levar pelas emoções instantâneas das derrotas e cobraram decisões apressadas, decisões instantâneas, ditadas pela raiva e pelo desgosto. Felizmente, o presidente Juvenal Juvêncio segurou todas as críticas e em nenhum momento pensou em demitir o treinador.

Não demorou nada para os resultados surgirem, com uma seqüência de dezessete jogos sem derrota.

Esse foi o terceiro grande ano seguido do São Paulo, repetindo a seqüência de 91-92-93, com títulos diferentes.

Vem agora o grande desafio de 2008. Na coletiva de há pouco, Muricy já adiantou que o foco de 2008 é a Libertadores, que é, como sempre, a grande exigência da torcida. Em pleno gramado, Rogério, questionado pelos jornalistas, adiantou que o clube tem time para vencer o Brasileiro, mas não para vencer a Libertadores.


Um quarto ano seguido com grandes resultados é um desafio de grande porte, o maior para o São Paulo em muitos anos. Por um lado, o clube começa o novo ano com um bom caixa e um bom grupo no campo, mas correndo o risco de perder vários jogadores para o exterior. É hora, já, de pensar e agir para 2008.


.

Marcadores: ,

2 Comments:

  • At 11:45 AM, Anonymous Lilu said…

    Caro Emerson,
    parabéns pela conquista! O São Paulo mereceu, e muito.
    Muricy além de competente, é divertido. Quase um Romário, digamos assim.
    E muito bacana também que o modelo de pontos corridos está provando que além de mais justo, é também mais emocionante que o mata-mata. Quanta coisa ainda está em jogo no campeonato! Quantas torcidas ainda estão interessadas no campeonato!
    Saudações tricolores (as verdadeiras, como as havaianas...hehehe). Nos encontraremos na Libertadores ano que vem.
    Lilu

     
  • At 4:07 PM, Blogger Net Esportes said…

    São Paulo ganhou bonito, foi o campeão legitimo e incontestável..... valeu tricolor !!!!!!!!!!!!

    http://netesporte.blogspot.com/

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home