Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

domingo, outubro 07, 2007

Democracia é bom demais




Vou postar um e-mail que recebi do Rocha - Gibran da Rocha Bento - cujo comentário citei e respondi no post anterior. Ele enviou por e-mail por não conseguir postar como comentário (é, às vezes esse sistema é meio chatinho, outras pessoas já reclamaram) e liberou-me para publicá-lo, o que agradeço.

Aproveito para desculpar-me pela resposta um tantinho agressiva e irônica. Mas, faz parte do debate. Tenho como norma escrever o que penso (embora não escreva tudo que penso... hehehe) e, ao fazer isso, estou ciente que posso ler o que não quero e não gosto como resposta. O cerne da democracia é a livre manifestação de idéias e, felizmente, vivemos numa plenitude democrática.
Coisa linda, para quem viveu os anos de chumbo da censura.

É tarde, estou cansado e não vou comentar o e-mail do Rocha, com pontos muito interessantes e dos quais, como estão colocados, não discordo e até apoio vários deles. Farei isso oportunamente.


"
Emerson, antes de mais nada devo deixar claro que não tenho preferência partidária nenhuma. Diria até que não tenho ideologia política definida.
.
Logo, não pretendo defender as políticas (muito menos os políticos) do PT.
.
A única coisa que eu quis deixar claro é que o governo Lula está em harmonia com o atual sistema comercial de radiofusão. Só isso.
.
É claro que dentro do espectro político nacional, da extrema esquerda à extrema direita, você sempre encontrará pessoas mais exaltadas e com tendências totalitárias. E isso só atrapalha aqueles que pretendem discutir comunicação a sério, pois vicia o debate com ideologias deturpadas pela prática política rasteira ou por interesses comerciais de grandes conglomerados de comunicação.
.
Mas enfim, minha posição pessoal: 1)sou contra tv estatal; 2)sou a favor de tv's públicas, sem dinheiro governamental direto; 3)sou a favor do estímulo à comunicação comunitária; 4)sou a favor do estímulo às tv’s regionais, fora do esquema de rede, que restringe a produção e o mercado regional; 5)sou a favor de políticas de incentivo à produção independente.
.
Lembrando que existe regulação forte em países capitalistas como o Canadá, que restringe ao mínimo a exibição de conteúdos estrangeiros e os EUA, onde a legislação obriga que boa parte do conteúdo das emissoras seja produzida por produtores independentes. E é claro que eles não fazem isso por populismo barato. É, por uma lado, defesa cultural e de mercado (Canadá), e por outro, pluralização na produção de conteúdo (EUA). Concentração de mídia existe em todo lugar do mundo capitalista, mas isso não inviabiliza o estimulo à pequena produção.
.
Acho justo sua preocupação com os anseios de certos “aloprados” que andam por aí, mas o meu maior medo sempre é a desqualificação dos debates sobre comunicação por gente que apenas quer manter privilégios políticos e/ou comerciais.
.
O projeto de lei que você citou em outro post, que pretende liberar gratuitamente para redes públicas a transmissão de eventos particulares, é um dos exemplos de populismo barato e estúpido que só servem para arranhar a imagem de quem tenta discutir comunicação a sério no Brasil.
.
Abraço."


.

Marcadores: ,

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home