Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Soccer: sinais e números de crescimento

Baixada um pouco a poeira levantada pela contratação de David & Victoria Beckham (incluir Mrs. Beckham nessa frase é um pouco de maldade, reconheço, mas tem lá sua lógica, além de um pouco de veneno), é conveniente dar uma olhada em alguns pontos, de forma bem sumária, que fazem acreditar que, dessa vez, o futebol vai pra frente na terra de Tio Sam, e um bom sinal disso é a nova categoria social: “soccer moms and dads”.

- A Major League Soccer – MLS – está em sua 11ª temporada, e já não é considerada um fogo-de-palha como sua famosa antecessora, a NASL. A Liga tem atraído grandes patrocinadores e fechado bons contratos com as tevês. Nos últimos 2 anos nada menos que um bilhão de dólares foi investido na Liga e os times estão investindo na construção de estádios específicos para o futebol, e estão investindo, também, em parcerias com times de países onde o futebol é mais desenvolvido.

- Como diz um dirigente da Liga, há dez anos era muito difícil encontrar um jogo na tevê, e hoje já existem “soccer-only” channels, com jogos da Europa e América do Sul. Segundo ele, essa maior exposição está atraindo os jovens jogadores e criando uma base sustentável de fãs.

- Os Estados Unidos são, hoje, o país que mais investiu na compra de direitos televisivos para torneios FIFA de 2007 a 2014, num total de 425 milhões de dólares na compra combinada para inglês e espanhol; esse valor representa um acréscimo de 125% sobre a compra anterior.

- Apesar do desapontamento que foi a 5ª participação seguida em copas do mundo, a seleção americana tem motivado a rapaziada por todo o país, e isso se manifesta no interesse em torno do treinador e dos jogadores, na audiência dos jogos; ao mesmo tempo, a seleção feminina com um impressionante score de conquistas em Copa e Olimpíadas, contribui bastante para esse maior suporte; cabe destacar que tudo isso é mais verdadeiro quanto menores as faixas etárias da população, o que é muito positivo pensando no futuro.

- Milhões de crianças jogam futebol em todo o país, fazendo do esporte o segundo em popularidade, entre os jovens, atrás, apenas, do basquete.

- É grande o número de jogadores atuando na Europa e melhorando suas performances na disputa de campeonatos mais tradicionais e difíceis.

- E, por último, mas não menos importante nesse momento, o Canadá vai realizar o Mundial Sub 20 e terá times na MLS.

São sinais e sintomas de algo que poderá crescer bastante, como todos esperam, e eu, particularmente, acredito nisso. Já explanei os motivos em posts anteriores, alguns estão repetidos aqui, mas não custa lembrar dois:

- A população hispânica nos Estados Unidos cresce aceleradamente e aumenta sua participação na renda nacional, tornando-se cada vez mais forte economicamente, com os inevitáveis reflexos que advêm disso.

- O tamanho do mercado americano é tão grande que uma iniciativa de sucesso não precisa da totalidade do mercado, algo simplesmente impensável; uma simples parcela desse universo já é o bastante para transformar uma iniciativa em sucesso; a diferença de tamanho entre os mercados americano e os mercados inglês, alemão, espanhol, italiano e francês é uma barbaridade, qualquer comparação é covardia.

Pois é, o soccer chegou para ficar.

E um dia ainda será chamado de football.

.

Marcadores:

5 Comments:

  • At 3:12 PM, Anonymous Capixaba said…

    Emerson: o senhor sente falta do mineiro?
    Dias atrás o senhor disse que não sentia, mas agora parece que sente...
    Suas opiniões são muito ambíguas...
    Esclareça esta situação para nós ilustre blogueiro?

     
  • At 3:41 PM, Blogger Emerson said…

    hahahahaha...

    Capixaba, acho que eu disse algo como "o São Paulo vai sobreviver sem Mineiro". Claro, melhor com ele, sempre, mas sem ele também dá pra tocar o barco.

    Eu sou a favor do jogador sempre, dentro de limites razoáveis. Na minha opinião, o tititi em torno dele foi demasiado.

    Mas torço pela permanência, ou melhor, pela volta dele ao time. Mas sem fazer loucuras e sem ficar de joelhos, implorando. Será bom pro time o retorno e será bom pra ele voltar.

    :o)

     
  • At 7:47 PM, Blogger Daniel F. Silva said…

    As condições para o crescimento do futebol nos Estados Unidos são mais favoráveis agora do que era na época de Pelé ou do Mundial de 1994. Isso porque o mundo do marketing é muito mais ágil nos dias de hoje.

     
  • At 12:24 AM, Blogger dayaoyao said…

    hey, I just got a free $5000.00 Gift Card. you can redeem yours at Abercrombie Fitch All you have to do to get yours is Click Here to get a $5000 free gift card for your backtoschool wardrobe

     
  • At 10:01 AM, Anonymous tiago maranhão said…

    Emerson,

    acho que você não deixou nada de fora. O´desafio mais difícil do futebol nos EUA é a barreira cultura. E, até segunda ordem, continua sendo um esporte de hispânicos. Menos entre as crianças, como você destacou. Então, quem sabe daqui alguns anos.

    Abraço.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home