Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, agosto 03, 2006

Triste quiproquó



Sempre que o trabalho me permite eu assisto o Arena Sportv e o Redação Sportv. E também o Bate-Bola, da ESPN.

O Arena de hoje, naturalmente, seria dedicado ao São Paulo, em função da vitória de ontem. Como eles fazem um clip legal, resolvi gravar (afinal, sou produtor de vídeo, né?). Estavam presentes o grande Armando Nogueira, o Carsughi, o Marco Antonio Rodrigues, o Lito Cavalcante e a Milly Lacombe, além do Cleber, claro.

O grande assunto era o Rogério, uma vez mais. Até com razão, em parte, afinal, se o pênalti entra, quem saberia dizer como ficaria o jogo? E assim seguiu, num pique ótimo, divertido, agradável. Até que a Milly começou a criticar o Rogério, um direito total dela e de todo mundo. Disse (a meu ver provocativamente) que ele era um goleiro ordinário com as mãos.

Hummmmmmm... Ordinário significa comum, na média, medíocre, normal. Mas, na vida real do dia-a-dia, seu significado é outro, como bem o sabemos. Coisas da última flor do Lácio que cultivamos com tanto amor e desamor. Depois repetiu esse conceito, enfatizando-o claramente. Ok, nada como saber usar as palavras, né? Elas estão aí para isso.

Mas, em certo momento, ela falou que não respeitava alguém que tinha falsificado um documento, citando o episodio de anos atrás entre o Rogério e o São Paulo, tendo como pivô, supostamente, o Arsenal. Depois, repetiu: “não respeito alguém que falsificou um documento para ganhar aumento”... Isso foi dito com todas essas letras, no ar. Está gravado pela emissora e por muita gente, eu mesmo, inclusive.

Logo em seguida, o Cleber anunciou que o Rogério estava na linha e chamou um intervalo. Na volta, Rogério entrou no ar, via fone.

Resumo rápido: disse que a “senhorita” teria de mostrar, de provar a acusação, que era uma acusação muito grave, que ele é um cara que tem família, tem um pai idoso, tem amigos, tem os torcedores do São Paulo e tem a história dele.

Várias vezes o Cleber tentou contornar, sem êxito. A Milly tentou dizer que não tinha acusado... Opa! Nem vale a pena falar disso. O Rogério foi extremamente duro e direto: vai levar a coisa a ferro e fogo.

Depois disso, o clima do programa caiu bastante, uma pena, justamente hoje, com dois de meus ídolos presentes: Armando e Carsughi.

... ...

Bom, várias vezes eu falei e escrevi que essa jornalista tem profunda ojeriza ao São Paulo e ao Rogério. Há vários episódios com passagens exemplares. Até aí, tudo bem, sem problemas. Algumas pessoas têm posturas não muito elegantes e isentas quando falam nas tevês ou nas rádios, ou quando escrevem. Ela poderia ter falado a mesma coisa de outro jeito. Por exemplo: “eu não gosto do Rogério porque nunca ficou bem explicado aquele caso do Arsenal” – ou qualquer coisa parecida. Nossa língua é rica e permite tudo isto. Mas, falsificar assinatura é crime. Ninguém pode acusar outra pessoa de um crime sem ter provas. Isso é básico para a vida em sociedade. Na mídia, isso é básico elevado ao quadrado.

É isso.

.

Marcadores:

16 Comments:

  • At 3:53 PM, Blogger Iara Alencar said…

    emersom, como nao tenho simpatia pelo rogerio Ceni...

     
  • At 3:59 PM, Anonymous Anônimo said…

    Pô, muito leviano dessa mané dizer isso. É grave mesmo e o cara tá coberto de razão em levar o caso à frente. Abraços. Lito.

     
  • At 4:09 PM, Anonymous renato santos said…

    Repetindo, por preguiça, meu comentário no JA: Deu no Lance que
    "Mesmo com a classificação garantida à final da Libertadores, o goleiro do São Paulo Rogério Ceni mostrou que está com os nervos à flor da pele. Nesta quinta-feira, ele protagonizou uma discussão ao vivo num programa de TV. Ceni entrou ao vivo no programa "Arena SporTV" e discutiu com a jornalista Mily Lacombe. Segundo o goleiro, a comentarista do canal o acusou de ter falsificado um documento referente a uma proposta do Arsenal, há alguns anos."
    Quer dizer então que o cidadão não tem direito de ficar nervoso "só" porque foi acusado de falsificador de documentos num programa de TV? Chamam o cara de desonesto no ar, o cara reclama e ainda acham que o cara está com nervos à flor da pele. A figurinha que redigiu isso não sabe distinguir nervosismo à flor da pele com vergonha na cara.
    Depois, neguinho se recusa a dar entrevista e é chamado de mascarado. Espero que ele entre na justiça. Espero também que o resto da imprensa seja menos corporativista que esse redator do Lance.

     
  • At 4:10 PM, Blogger Emerson said…

    Iara, imagine alguém que não tenha simpatia por você dizer na tevê de Palmas que você falsificou, sei lá, um diploma, por exemplo, pra conseguir um emprego.

    O que você faria?

    Precisamos separar as coisas. Posso não gostar de alguém, mas não posso acusar essa pessoa de nada, a menos que provado em juízo.

    Qualquer um pode dizer que eu sou um escritor de m*, mas ninguém pode dizer que eu falsifiquei uma assinatura.
    Uma coisa é a opinião sobre alguém, outra, muito distinta, é acusar alguém de um crime. A menos que tenha provas, claro. Mas não é o caso nessa questão.

     
  • At 4:15 PM, Blogger Emerson said…

    Renato, nem sei se o que vou falar agora é verdadeiro ou não, mas eu acho que é. Acho que a patifaria é tão difundida, inclusive e principalmente entre a turma do "alto", que nós todos, generalizando, perdemos um pouco a noção das coisas.

    Aí, alguém diz que outra pessoa falsificou algo e... tudo bem, deixa passar, fica por isso mesmo. Eu também espero que ele processe essa jornalista, porque, sinceramente, ela foi longe demais.

    Uma coisa é chamar o cara de arrogante, metido, frangueiro, até dissimulado, como ela disse também. Mas entre esses adjetivos que expressam uma opinião e o tempo verbal "falsificou" há uma distância muito grande.

     
  • At 4:29 PM, Anonymous Anônimo said…

    Concordo, Emerson. Sem ter visto o programa, me parece que foi leviandade pura. Merece uma lição.
    Quanto ao Rogério, cada vez gosto mais dele. Um senhor profissional. Vem vencendo suas limitações técnicas (que não são tantas assim) com treinamento e dedicação. Além disso, exerce como poucos o papel de lider (arghhh!!!) do time. E para finalizar, é um fenômeno: é o único prognata sem queixo que eu conheço.

     
  • At 4:32 PM, Anonymous renato santos said…

    Desculpe, esqueci de assinar o último comentário. Esse anônimo das 4:29 sou eu.

     
  • At 5:23 PM, Blogger Iara Alencar said…

    Eu não mexo com isso.
    Tenho minhas antipatias pelo Rogerio.
    Mas apenas eu o acho arrogante, egoista, metido a bonzão, falador demais, initmidador...

    Mas eu so acusaria assim se eu tivesse provas, nesse caso ele esta em seu direto de revidar sim.

     
  • At 6:39 PM, Anonymous Anônimo said…

    perfeito seu texto!
    dá-lhe Rogério!

     
  • At 10:44 PM, Blogger Chute nos Bagos said…

    Eu até acho a Milly Lacombe uma boa comentarista, corajosa, sem aquele tradicional ramerrame dos comentaristas de Tv, mas a moça pisou feio na bola desta vez. Você tem toda a razão, ela disse, com todas as letras que o RC havia falsificado a assinatura. Pegou pesado. Foi irresponsável e o goleiro tem toda a razão em processar a moça. Que ela prove o que disse. Caso contrário...Abs

     
  • At 10:44 PM, Anonymous AMBROSIO said…

    Emerson, espero que a midia nao va encobrir o fato, dando o devido destaque as providencias adotadas por Rogerio Ceni, sempre achei Rogerio um goleiro mediano, nao gosto de suas posiçoes pessoais, mas , ser acusado de falsario ao vivo para todo o pais por uma pessoa que se diz jornalista e no minimo motivo pra duelo,espero que Rogerio deixe seus advogados cuidarem dso caso e nao caia na armadilha desta senhoura, que visa apeas desestabilizar o que é o hoje o maior idolo do Sao Paulo.O amior idolo de todos os tempos ainda é Rai, eu acho.

     
  • At 11:04 PM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, como tu bens sabes meu filho teve uma relacao de amizade coma familia do Rai em funcao de sermos vizinhos do Sofocles, seu irmao. Essa amizade estendeu-se ate ao afavel Rai. No entanto pela sua longividade no Sao Paulo com um somatorio inquestionavel de titulos, quero crer, hodiernamente ser o Rogerio Ceni seu maior idolo.
    Abs Pedro Goulart

     
  • At 12:00 AM, Blogger Emerson said…

    Pedro, essa coisa de ídolo só vale, mesmo, o momento presente, né? Eu não vi Leônidas, mas poxa, o São Paulo é o que é graças a ele. E a tantos outros! Raí e Telê, por exemplo.

    Esse é o momento, é a fase do Rogério. A rapaziada diz que ele é o maior. Legal, legal, que seja.
    :o)
    Ele mesmo sabe que um dia deixará de ser, o que é bom, pois a vida precisa seuguir em frente.
    .
    Hoje, ele é mesmo o maior, pois tirando o Marcos, não temos mais jogadores com identidade plena com o clube, com o time, com a torcida.

     
  • At 12:58 AM, Anonymous Anônimo said…

    Alguém teria o link do vídeo onde *ela* fala ? Vi um vídeo no YouTube já com o Rogério esculachando a digníssima, mas tenho curiosidade (mórbida, eu sei :) ) de ouvir o que ela falou...

     
  • At 1:10 AM, Blogger Emerson said…

    Bom,eu tenho gravado, mas nem sei como passar esse trem pro youtube. vVou dar uma olhada nisso amanhã.

     
  • At 2:56 AM, Anonymous Ivan Siqueira said…

    o link para o video do youtube é esse: http://www.youtube.com/watch?v=1-ZD6pMtjrQ

    mas aviso logo que esta incompleto, começa com o RC esculhambando a milly.

    emerson, se você tiver o video completo e quiser me enviar, eu subo pro youtube. entre em contato via e-mail, por favor: ivan.br(arroba)gmail.com

    abraço.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home