Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

sábado, junho 16, 2007

Boladas e Caneladas 16 06 07


Seleção

Há um bom tempo, ainda com Parreira à frente do selecionado, venho reclamando a presença de mais jogadores que atuam no Brasil na seleção. Por vários motivos, entre eles o fato de que tem muito jogador atuando muito bem por aqui, merecendo a chance de uma convocação; porque o fato do jogador estar na Europa não é, por si só, atestado de suprema qualidade, até porque muitos convocados não passam de reservas em clubes de segunda linha; porque esses dois fatores criam um terrível desestímulo aos que jogam em terras tupiniquins, e só lhes aumenta a vontade e a necessidade de deixarem o país, mesmo que para clubes obscuros do Leste europeu, Portugal, Espanha, Holanda, Alemanha, etc. Finalmente, essa prática colonizada e colonialista ao mesmo tempo, enfraquece nossos clubes, diminui a qualidade de nossas competições, mesmo porque, com a discrepância de calendários, os europeus levam nossos jogadores exatamente na metade de nossa principal competição.

Falo disso tudo não é de hoje, e me sinto bem em bater nessa tecla auto-afirmativa. Vejo, agora, que mais gente – jogadores, dirigentes, torcedores em blogs e até mesmo jornalistas, imaginem! - começa a bater na mesma tecla.

Antes tarde do que nunca.

São Paulo, Lula e Ricardo Teixeira

Tivemos beija-mão em Brasília.

Ah, os velhos hábitos da colônia...

Nada se perpetua mais do que eles.

No Palácio do Planalto, à vontade, o presidente da República recebeu os presidentes da CBF e do São Paulo F.C.

O da CBF foi falar e garantir de novo e sempre o apoio republicano (seja lá o que isso signifique, mas como todo dirigente governamental usa tal adjetivo, eu também uso; deve ser o novo “a nível de...”) à Copa de 2014 aqui na Terra de Vera Cruz.

O do São Paulo, Juvenal Juvêncio, com Marcelo Portugal Gouvêa junto, únicos dirigentes de clube presentes ao encontro, foram para garantir que o Morumbi não seja deixado de lado na escolha das sedes da Copa.

O estádio estará pronto e adequado às normas FIFA, sem um centavo de dinheiro do povo, também conhecido como dinheiro público, também conhecido como dinheiro fácil para alguns. O próprio clube fará todas as reformas e alterações necessárias, propiciando às burras federais e outras, a economia de alguma coisa entre 2 e 5 bilhões de reais. Algo como entre um e dois e meio novos Wembley. Nesse ponto, o da gastança, nós, brasileiros, somos insuperáveis em todo o planeta.

Mas essa aparente benesse ainda corre riscos. Tem muita gente interessada em gastar esses dinheiros para fazer um novo e desnecessário estádio em São Paulo, tal como se fez agora no Rio de Janeiro, com o Engenhão. E essa muita gente tem um bom motivo para a gastança: gerar empregos e ajudar aos pobres brasileiros desempregados.

Hum hum...

Me engana que eu gosto.

Beija-mão?

Há alguns sinais no horizonte que o São Paulo acertou-se com a CBF, e que JJ e RT andam de mãozinhas dadas. Pode ser, pode ser, tudo em nome de uma causa maior. Mas, há também sinais de que o clube manterá sua independência e sua postura crítica perante à confederação-mor e seus cartolas de alto coturno.

Tomara, tomara...

Paróquias & Províncias

Confesso que freqüentar os blogs perdeu boa parte de seu velho encanto.

Hoje, aparentemente mais do que nunca, os blogs limitam-se a conversas e trocas de farpas entre paroquianos de uma mesma província.

Nada mais chato que isso.

É comum encontrarmos uma caixa com mais de trezentos comentários, e vermos que a quase totalidade dos mesmos limita-se a falar de dois times e nada mais.

Muito chato e uma total perda de tempo.

Muda-se de blog e a coisa acompanha, mudando apenas atores e personagens.

A saída, pobre, tem sido aumentar a freqüência nas listas de discussão fechadas, onde o tema é sempre o mesmo, sem mudanças, com raros OTs.

Pobre demais, mas parece ser o que resta.

Praticamente perdi a esperança de discutir futebol e tudo que o cerca com gente de outros lugares de forma organizada e regular. Conversas assim até sobrevivem e acontecem, porém cada vez mais raramente, cercadas por oceanos de mesmice, preconceitos e bairrismos os mais diversos.

E o BR?

Vai bem, obrigado, apesar dos desencontros em campo que têm sido as atuações de muitos de seus times considerados fortes.

Nesse ano, novas caras atuam como protagonistas. Algumas caras, por sinal, muito bonitas. Mas é muito cedo para qualquer julgamento e mais ainda para qualquer tipo de prognóstico. Mais que em anos anteriores, o BR 2007 é uma grande incógnita.

Teremos que esperar a ressaca das copas terminar, teremos que esperar o fechamento da janela de verão das contratações européias, teremos que esperar pelo reassentamento e reajuste dos times, para, só então, termos alguma condição mínima de arriscar prognósticos.


.

Marcadores:

5 Comments:

  • At 11:46 PM, Anonymous Victor said…

    Emerson, vc apostaria dois tostões furados que o SP vai ser campeão brasileiro novamente?
    .
    Faço uma pergunta mais fácil: vc aposta meio tostão furado que o Botafogo será campeão? Eu não.
    .
    Pois bem, isso tudo pra dizer que hoje vi o primeiro tempo inteiro do jogo entre SP e Vasco antes de ir ao Maracanã ver o do Botafogo. Acho impossível que após 38 rodadas o time que tem o melhor elenco do país (estou falando do São Paulo, só pra deixar claro, embora ache que nem precisava esclarecer que não me referia ao Botafogo) perca este título. Basta deixarem o Muricy, que é um excelente treinador, trabalhar em paz. O São Paulo já está em 6º, com 10 pontos. Aposto que até o fim do primeiro turno já assumirá a liderança.

     
  • At 11:55 PM, Anonymous Victor said…

    Quanto à seleção, acho inevitável que praticamente só se convoque para as competições oficiais de relevância (acho q só sobra a Copa do Mundo nesta categoria...) jogadores que jogam na Europa. Os melhores brasileiros lá estão, isto é indiscutível. Os que por aqui se destacam de modo geral são jovens demais, inexperientes demais ou velhos demais para seleção. Em regra, claro. Penso que é preciso parar de tentar ampliar o leque de jogadores aptos à seleção. Em todo campeonato se criam "convocáveis". Acho uma bobagem. Na Europa as seleções trabalham com uns 30, 35 jogadores apenas, que são aqueles que possuem nível de seleção. Já no Brasil, basta se fazer um campeonato paulista ou gaucho bom pra exigirem a presença de um novato ou o retorno de um veterano à seleção. Não dá. De qualquer jeito, aceitar que se deva convocar basicamente jogadores radicados na Europa, por lá estarem os melhores, não significa aceitar que se convoque qualquer um por estar na Europa. São coisas distintas. Lincoln será eternamente um jogador sem nível de seleção, assim como Fernando ou algumas curiosidades do leste europeu. Mas mesmo se expurgássemos fatores exógenos e heterodoxos que afetam a convocação do Dunga, creio que seria inveitável que a seleção brasileira, escolhida tão somente por merecimento, viria quase toda da Europa mesmo.

     
  • At 12:01 AM, Anonymous Victor said…

    Quanto aos blogs por aí e às discussões rasteiras sobre futebol, há de se aceitar que futebol é uma paixão popular. 99% dos fãs do esporte são pessoas rudes. Por isso, é raríssmo encontrar alguém que não veja futebol como uma questão de vida ou morte ou como uma luta entre clãs rivais. Mais raro ainda é encontrar alguém que esteja disposto a discutir coisas que vão mais além da atuação do goleiro ou do árbitro. Enfim, é triste, mas é a realidade. O blog do Lédio é um exemplo de que a popularização faz mal ao debate. Acompanho aquele espaço desde os tempos de Jornal O Globo. Hoje, como está vinculado à página do globoesporte, bem mais popular do que o site do jornal do mesmo grupo, recebe toda sorte de visitantes. Em dias de vitórias do Grêmio, por exemplo, é simplesmente insuportável ler os comentários. Mas é apenas um reflexo do nível do debate médio sobre futebol travado por aí. Provavelmente se gostássemos de equitação ou de pólo seria um pouco mais simples conseguir travar boas discussões.

     
  • At 10:25 AM, Blogger Emerson said…

    Hahahahahaa...

    Victor, começando pelo final, olhe, estou rindo porque lembro de uma série de discussões ridículas, extremamente grotescas e baixas, travadas num fórum com gente do mundo dos cavalos.
    É o ser humano, meu amigo, é o ser humano.
    Aposto que até as rainhas européias rodam a baiana e apelam pra baixaria entre seus iguais. Já imaginou a Rainha aqui, discutindo no blog?
    :o)


    Seleção virou uma coisa chata. Não sei tua idade, mas nos anos sessenta, setenta e até a Copa do México, seleção era uma coisa importante demais, a gente ficava numa expectativa terrível pelas convocações, ter um jogador do time convocado valia quase um título.
    Mas mudou. A seleção agora joga demais e joga contra qualquer um por quaisquer trinta dinheiros. Coisa mais sem graça.
    Ainda assim, acho que jogadores que atuam aqui deveriam ser convocados em maior número do que ocorre atualmente.
    Como explicar Túlio fora e Fernando dentro?
    Até entendo Mineiro pelo currículo, mas, Fernando?
    Bom, esse assunto me dá azia.

    Ehehehehehe

    Quanto ao BR, sei lá, terminou a sexta rodada, faltam 32. Falta tudo e mais a janela de verão européia.

    Hoje, no mero chute, acho que Botafogo, São Paulo, Inter, Santos e talvez Cruzeiro, cheguem na ponta da tabela. Mas isso é chute, nada mais. Tem muita grama a ser pisada pela frente, ainda.

     
  • At 12:53 PM, Blogger Iara Alencar said…

    1º obrigada pela visita, gosto da duplinha eles sao um sucesso aqui na inha cidade.

    2º) adoraria ver uma seleção com o mixto de cada time, mas se isso ocorrer, teremos facilmente metade dos tims]es daqui fora no meio do campeonato.

    3º) continuando: teriamos enfraquecimento do brasileiro, pq os times perderiam seus bons jogadores.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home