Um Olhar Crônico Esportivo

Um espaço para textos e comentários sobre esportes.

<

quinta-feira, março 22, 2007

Day after

Já tive piores, como um certo dia de agosto de 2006, ou um dia qualquer no longínquo ano de 1994. Curiosamente, em ambos os casos tínhamos perdido

uma final de Libertadores na véspera.

Há vários dias estou, ou melhor, estava para escrever um texto sobre a chatice de séries invictas, quando chega um momento em que o rabo começa a correr atrás do cachorro, não porque o rabo ou o cachorro assim o queiram e mais porque a platéia e os animadores da platéia assim exigem. Perder é tão benéfico quanto vencer, claro que numa correlação bem desproporcional. Vitórias seguidas iludem e conduzem o time a uma queda não anunciada muito pior do que o que seria razoável.

Portanto, a derrota de ontem, em Aguascalientes, foi saudável. Pena que tirou do São Paulo a chance de poder terminar essa fase entre os 4 primeiros e, dessa forma, ter maiores chances de fazer os jogos decisivos no Morumbi.

.

Marcadores:

3 Comments:

  • At 3:33 PM, Blogger Arthur Virgílio said…

    Acho que chatice maior, é o SPFC ser um time quase imbatível. Concordo, quando destacas que as vitórias podem esconder defeitos. No entanto, a equipe que fica 29 jogos sem perder não possue tantos erros.

     
  • At 10:36 AM, Anonymous Anônimo said…

    Emerson, és um forte. Só hoje, três dias depois, começo a emergir de meu período sabático. Nada de jornais; TV, só aqueles seriados tipo CSI (no máximo falam de NBA).

    Reconheço, sampaulinamente sou um fraco! Paradoxalmente, no entanto, a reação reflete nossa mania de vencer, superar-se e, assim, também é impulso pra voltar à luta. Pronto. Depurei.

    Quanto ao time, já havia postado em outros blogs que "faltava algo". Sinceramente a série não me convencia porque, exceto no 1° tempo contra o Santos - por haver dois volantes, talvez ? - o time nunca jogou bem. Ganhava sempre deixando aquela sensação do "ah, se o adversário não tivesse ficado com dez" ou de "se não fosse aquela defesa do Rogério" ... Pouco para o potencial do elenco. Espero que Muricy tenha aprendido que é impossível jogar uma Libertadores com apenas um volante e que, inteiro, Jorge Vagner (em dupla com Josué) consiga equilibar o time.

    PLINIO

     
  • At 1:54 AM, Anonymous Anônimo said…

    E agora com uma segunda derrota consecutiva como esta seu humor?
    O pior mesmo foi perder pra um time como o São Caetano: fraco, fraco, fraco... Que não se enganem porque está no G4 do Paulistão. É fraco assim cmo ituanos, bragantinos, corinthias, ponte pretas, e noroestes (esse virou o fio e se igualou a estes outros).
    Perder pro Necaxca, um time com valores individuas melhores e muitooo fora de casa (afinal o jogo foi no México)até vai.
    Mas pro São Caetano é de se pensar.
    Tô com o anônino de baixo. A algum tempo o time vencia mais não convencia. Estava num declínio mascarado.
    Mas ainda há tempo. O elenco ainda é o melhor do Brasil! O problema pra mim é o esquema. O time está preso a um esquema de jogo que mediocriza (nem sei se essa palavra existe, acredito que não) o jeito de jogar do São Paulo.
    Igual a seleção da Inglaterra, que tem ótimos jogadores, alguns até que considero craques, mas não usa o que esses jogadores podem dar. É jogador aberto na ponta e bola pra área. Sempre sacrificando seus melhores jogadores em prol desse estilo de jogo que é o único que os técnicos que comandam a Inglaterra conseguem conceber. Parece existir um pré-conceito de que a Inglaterra só pode jogar assim e infelizmente os técnicos dessa seleção acreditam nisso.
    Veja o último jogo deles contra Israel que você vai entender o que eu digo!
    Enfim, como o Muricy é melhor técnico do que todos que passaram pela Seleção Inglesa nos últimos tempos, tenho certeza que ele ainda vai enxergar isso e mudar a tempo.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home